in

Linfoma de Hodgkin: o que é, sintomas, diagnóstico e tratamento do câncer que acometeu Caio Ribeiro

O comentarista da Rede Globo anunciou recentemente que está lutando contra um câncer.

G1

Caio Ribeiro, que é comentarista esportivo da Rede Globo, revelou nesta última sexta-feira, 3 de setembro, que está com câncer. Após o jornalista ter compartilhado um vídeo na rede social para falar sobre o problema que está enfrentando, a notícia gerou grande repercussão na mídia. Ele aproveitou a oportunidade para poder explicar como descobriu a doença.

Publicidade

De acordo com o comentarista global, ele percebeu que algo estava errado ao notar um caroço que surgiu em seu pescoço. Já em tratamento para tratar o problema, Caio Ribeiro demonstrou estar muito confiante no processo de cura. O anúncio da doença do jornalista acabou levantando muitos questionamentos sobre esse tipo de câncer.

Entenda melhor sobre a doença que acometeu o comentarista Caio Ribeiro e fique sempre atento aos sinais que o corpo dá quando algo não está bem. Ao perceber algo errado procure ajuda de um médico. 

Publicidade

Linfoma de Hodgkin: o que é?

Esse é um câncer com origem no sistema linfático. Para quem não sabe, esse sistema é um conjunto de órgãos e tecidos que estão espalhados pelo organismo. O sistema linfático tem como responsabilidade a produção e amadurecimento das células de defesa do corpo. Além disso, tem a função de drenar o excesso de líquido.

Publicidade

Sintomas

Geralmente, os primeiros sintomas são linfonodos ou caroços, que, na maioria dos casos, é indolor, ou seja, a pessoa não sente nenhum tipo de dor. Podem surgir caroços no pescoço, axilas e virilha. Além de febre, perda de peso, fraqueza e aumento do volume de abdômen.

Publicidade

Diagnóstico

Segundo o INCA – Instituto Nacional do Câncer, a doença é diagnosticada através de uma biópsia da região afetada. O procedimento visa retirar uma parte ou todo linfonodo para que seja examinado no laboratório.

Tratamento

O tratamento indicado vai ser baseado em fatores como idade, localização do linfoma e estado clínico do paciente. Podem ser realizados vários tipos como: radioterapia, quimioterapia, anticorpos monoclonais, quimioterapia de alta dose com transplante de medula. Contudo, vale frisar que os principais tratamentos são quimioterapia e radioterapia. No caso do comentarista de 46 anos, o procedimento que está sendo usado é a quimioterapia.

Publicidade
Publicidade
Publicidade