in

Cabelo raspado e internação: progressiva em menina de 9 anos acaba mal e pai relata: ‘Sem minha autorização’

A criança acabou sofrendo uma grave alergia e ficou internada por quase um mês.

Istoé

Uma garotinha de apenas nove anos de idade teve que raspar o cabelo após uma cabeleireira realizar uma escova progressiva sem o conhecimento do responsável da criança. Segundo o pai da menina, José Flávio Sousa, de 38 anos, a filha Yasmim está muito abalada com tudo que aconteceu e não quer nem sair mais de casa.

Publicidade

Conforme informação do portal de notícias Crescer, a criança mora com o encarregado de manutenção em Ferraz de Vasconcelos, que fica localizada em São Paulo. O fato ocorreu no dia 17 de julho, quando o homem decidiu levar a filha para poder arrumar o cabelo em um salão próximo de casa.

O objetivo era que a menina fizesse uma hidratação nas madeixas e ficasse com os cabelos cacheados mais bonitos. No entanto, as coisas não saíram como o planejado. Inclusive, José Flávio fez um desabafo sobre a situação. “Como conhecia e confiava na cabeleireira, deixei minha filha no salão, mas quando eu voltei ela estava fazendo progressiva na Yasmin, sem a minha autorização. Cheguei a perguntar se daria problema, mas ela disse que era uma progressiva orgânica”, disse o pai da criança.

Publicidade

O homem ainda fez questão de ressaltar que não tinha muito conhecimento sobre procedimentos de cabelo e imaginou que a profissional somente passaria um creme no cabelo da menina. No entanto, dois dias depois, a pequena Yasmin começou a apresentar coceira intensa no cabelo, além de vômito e olhos inchados.

Publicidade

Assustado, ele levou a filha até um posto de saúde. No local, a criança foi diagnosticada com alergia e pôde retornar para casa, porém alguns dias depois a garota piorou e precisou ser levada ao hospital ficando internada para receber antibióticos e antialérgicos. Mesmo recebendo tratamento, após 12 dias foi necessário raspar o cabelo da criança para drenar o líquido que se formou na cabeça devido a uma grave infecção.

Publicidade

A suspeita é que o produto usado pela cabeleireira tivesse formol, mas segundo o pai da pequena, a profissional nega ter feito uso da substância. Yasmin ficou 28 dias internada e o pai ressaltou que ela ainda está em recuperação estando muito abalada psicologicamente.

O caso serve de alerta aos pais para evitar qualquer tipo de procedimento químico em crianças pequenas. Vale frisar que é importante estar acompanhando a criança em todas as situações, já que elas não têm condição de avaliar se algo oferece perigo.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.