in

Líder do movimento antimáscara morre de Covid, ele deixa esposa grávida e 3 filhas: ‘Era cabeça dura’

O americano chegou a fazer protestos contra o uso de máscaras, uma das medidas para evitar a contaminação do vírus.

UOL

A pandemia do coronavírus continua fazendo vítimas fatais no mundo todo. Uma das medidas para evitar a contaminação da doença é o uso de máscaras. Elas ajudam a reduzir o risco de se infectar com o vírus e também de transmitir para outras pessoas. No entanto, tem pessoas que são contra o seu uso e ainda fazem campanhas para que outros não usem.

Publicidade

Nos Estados Unidos, Caleb Wallace, de 30 anos, se tornou o líder de um movimento contra o uso de máscaras durante a pandemia. Ironicamente, o rapaz acabou contraindo o vírus e acabou morrendo neste último sábado, 28 de agosto. Conforme informado pela mídia americana, quando ele começou a apresentar os primeiros sintomas, optou por não realizar o teste e nem buscou ajuda médica.

Caleb Wallace preferiu tomar ivermectina, acido acetilsalicílico, zinco e vitamina, que já foram comprovados cientificamente que são ineficientes para combater o coronavírus. Após quatro dias, o americano precisou ser internado em um hospital, no Texas. Na semana seguinte a hospitalização, ele teve uma piora perdendo a consciência.

Publicidade

“Ele era tão cabeça-dura. Não queria ir ao médico, porque não desejava fazer parte das estatísticas dos exames de detecção de Covid”, desabafou a esposa, Jessica Wallace. O americano deixa três filhas e a esposa grávida. Em alguns vídeos compartilhados por ele na web, Caleb aparece criticando a realização do teste RT-PCR. O motivo segundo o homem era o alto número de falsos positivos.

Publicidade

O americano também foi responsável por organizar protestos contra os protocolos impostos pelo governo para evitar a proliferação da doença. Inclusive, ele chegou a dizer que se preocupava mais com a liberdade do cidadão do que com a saúde de cada pessoa.

Publicidade

A esposa chegou a criar uma vaquinha online para poder ajudar a custear as despesas do tratamento do marido. A mulher chegou a arrecadar 52 mil dólares e relatou que as dificuldades começaram a aparecer e precisou pedir ajuda.

Publicidade
Publicidade
Publicidade