in

Caso Miguel: Mãe e madrasta são filmadas na noite da morte do menino; mãe carregava mala com o corpo

As acusadas confessaram que mataram a criança e jogaram seu corpo no Rio Tramandaí.

UOL | Divulgação | Montagem Ingrid Machado

Imagens de câmeras de segurança mostraram a frieza de Yasmin Rodrigues e Bruna Rosa, respectivamente mãe e madrasta do menino Miguel. De acordo com o site UOL, a criança de apenas 7 anos de idade foi assassinada pelo casal com requintes de crueldade no último dia 29 de julho. As companheiras confessaram o crime.

Publicidade

Após doparem o menino com uso de medicamentos controlados, ele foi colocado dentro de uma mala e arremessado no Rio Tramandaí, no Rio Grande do Sul. Imagens de câmeras de segurança registraram o momento em que Yasmin e Bruna caminham pelas ruas na noite do crime. A mãe de Miguel carrega uma mala com o corpo do filho.

O promotor André Tarouco, responsável pela denúncia, detalhou as sessões de tortura físicas e emocionais às quais Miguel foi submetido nos últimos tempos. Cópias de conversas obtidas pela polícia mostraram que o casal já vinha premeditando o crime contra a criança.

Publicidade

Os detalhes sobre a noite do crime são chocantes. “O casal rompeu as articulações dos membros inferiores e superiores do corpo da vítima“, contou o promotor André Tarouco. De acordo com as investigações, Bruna acreditava que Miguel era um empecilho em seu namoro com Yasmin. A madrasta ficava sozinha com o menino durante todo o dia enquanto a mãe trabalhava.

Publicidade

Até o momento, o corpo da criança não foi encontrado.  A polícia também descobriu que o casal fez pesquisas na internet sobre como apagar indícios de um assassinato. Antes de morar com a mãe, Miguel estava sob a tutela da avó, porém, Yasmin pediu a mãe para levar o menino. A avó materna de Miguel conseguiu reverter a guarda na Justiça, porém, não deu tempo de buscar a criança antes de seu trágico destino.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade