in

Mãe confessa ter matado filho e jogado o corpo em um rio; criança era amarrada e trancada em móvel

A criança era constantemente torturada pela mãe e sua companheira em Imbé (RS).

Reprodução/RBS TV

Um crime horrível chocou toda a população de Imbé, litoral norte do estado do Rio Grande do Sul. Yasmin Vaz dos Santos Rodrigues, de 26 anos, foi detida pela polícia na última sexta-feira (30) após confessar ter matado o próprio filho, Miguel, e jogado o corpo no rio Tramandaí.

Publicidade

Yasmim foi à delegacia na última quinta-feira (29) para relatar o suposto desaparecimento do filho Miguel, de apenas 7 anos. Após início das investigações, a mãe acabou confessando ter administrado medicamentos para a criança e jogar o corpo do filho em um rio da cidade. 

Segundo informações dadas pelo delegado Antonio Carlos Ractz, o crime aconteceu na noite de quarta-feira (28) e Yasmim colocou o corpo da criança dentro de uma mala, seguindo até o rio. Buscando evitar as avenidas principais da cidade, Yasmim utilizou ruas de dentro dos bairros até a margem do rio e atirou a mala para ocultar o corpo.

Publicidade

O delegado ainda revelou que a criança vivia sob intensa tortura física e psicológica da mãe e de sua companheira Bruna Nathiele da Rosa. Miguel era uma criança desnutrida e não possuía amigos, além de não frequentar nenhum lugar. A criança era posta de castigo, trancada em um cômodo da casa e amarrada dentro de um roupeiro.

Publicidade

As buscas continuam

As buscas pelo corpo de Miguel já chegaram ao quinto dia, nesta segunda-feira (02). O Corpo de Bombeiros continua procurando o corpo da criança entre a foz do rio Tramandaí e as praias de Tramandaí e de Imbé, podendo ser estendida até a cidade de Torres para seguir as correntes marítimas. 

Publicidade

As buscas foram reforçadas com a ajuda de um helicóptero e a polícia ainda acredita na possibilidade de Miguel estar vivo.

Companheira da Mãe também é detida

Segundo informações da polícia, as imagens e conversas conseguidas através do celular da companheira de Yasmim foram determinantes para decretar a prisão de Bruna, além de serem um comprovação da participação no crime.

Em um vídeo divulgado pelo polícia Miguel aparece dentro de um guarda-roupa, local onde a criança seria mantida amarrada. As imagens ainda mostram a companheira Bruna ameaçando bater na criança e ainda esfregar sua cara no mijo, caso ele fizesse quando a mãe dele chegar.

Em alguns prints obtidos pela polícia, as duas falam sobre a compra de um corrente, que segundo o advogado, teria sido usada para acorrentar o menino para evitar fugas. Ao prestar depoimento para a polícia, Bruna negou qualquer participação no crime e disse que a mãe agiu completamente sozinha. 

Bruna Nathiele da Rosa foi detida na tarde deste domingo (02) após a Justiça decretar sua prisão temporária. A companheira de Yasmim possui autismo em grau leve e deve passar por uma avaliação psiquiátrica. Ela foi encaminhada para prestar novo depoimento na Delegacia de Imbé e em seguida deve ser encaminhada para um presídio feminino. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade