in

Bolsonaro insinua não participar das eleições de 2022 caso não haja voto impresso

Presidente segue mantendo o discurso que poderá ocorrer ilegalidades nas eleições.

Reprodução/TV Planalto

Após receber alta do hospital, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) insinuou nesta segunda-feira (19), que caso as eleições não sejam através do voto impresso, ele poderá desistir de concorrer a reeleição em 2022. Bolsonaro segue o mesmo discurso afirmando que as urnas eletrônicas podem ser fraudadas e que a eleição para presidente em 2022 já teria um vencedor, caso o modelo atual de votação não fosse alterado.

Publicidade

O presidente afirmou que o voto impresso é o único meio para ocorrer uma auditagem e caso as eleições sejam nas urnas eletrônicas, os votos serão auditados pelo TSE de maneira secreta, o que levará à possível eleição de Lula. Apesar da ameaça em não participar da eleição, Bolsonaro baixou o tom de seu discurso, pois anteriormente o presidente havia declarado que se as eleições não fossem através do voto impresso, talvez as mesmas nem ocorressem.

Entretanto, Bolsonaro continuou com suas acusações e afirmou que ministro do Supremo Tribunal Federal e presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, havia articulado um esquema para que o voto impresso fosse barrado na votação que irá ocorrer no Congresso Nacional.

Publicidade

Bolsonaro permaneceu cerca de 20 minutos no Palácio do Planalto, conversando com seus apoiadores e declarou estar sem agenda, por isso poderia permanecer ali por mais tempo. O presidente ainda declarou que as urnas eletrônicas não são confiáveis e que a premissa que são invioláveis é extremamente falsa. Os adversários políticos de Bolsonaro defendem que o presidente foi eleito através dessas urnas, por isso, não há nenhuma possibilidade de fraude.

Publicidade

O presidente segue a sua rotina de recuperação após ter recebido alta do hospital onde estava internado em São Paulo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade