in

Ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello chegou a negociar compra da Coronavac pelo triplo do valor

O ex-ministro estava negociando a compra da vacina através de uma intermediária.

Reprodução: Vídeo/Folha de São Paulo

Mesmo após a saída da pasta da Saúde, o nome do general Eduardo Pazuello continua sendo mantido em polêmicas. Quando ainda era chefe da Saúde, Eduardo Pazuello havia prometido a um grupo de intermediadores que iria adquirir cerca de 30 milhões de doses da vacina Coronavac. O que chama atenção é que esse grupo de intermediadores ofereceu as doses ao Ministério da Saúde com um preço três vezes superior ao pedido pelo Instituto Butantã.

Publicidade

A negociação ocorreu em uma reunião no mês de março e foi registrada através de uma gravação. No vídeo em questão, Pazuello aparece ao lado de pessoas ligadas a empresa Worlds Brands, sediada em Santa Catarina, e que possui como especialidade realizar negócios com o exterior. A gravação da reunião foi direcionada ao Senado Federal e poderá ser utilizada na CPI da Covid.

A empresa Worlds Brands ofereceu 30 milhões de dose da Coronavac por um preço de 28 dólares a dose. A compra realizada pela empresa seria diretamente com o governo chinês. O preço oferecido pela Worlds Brands era um valor muitíssimo elevado, pois o Ministério da Saúde já havia adquirido 100 milhões de doses da Coronavac, do Instituto Butantã, por um preço unitário de 10 dólares.

Publicidade

O vídeo da negociação contradiz o que Pazuello afirmou em seu depoimento na CPI da Covid. Aos senadores, o ex-ministro afirmou que não participou da reunião com Pfizer, pois não era o seu dever liderar qualquer negociação. A negociação entre Pazuello e a empresa catarinense ocorreu no gabinete de Elcio Franco.

Publicidade

No vídeo, Pazuello afirma que assinou um memorando para autorizar a compra das vacinas mesmo com o elevado preço, contudo, as negociações não avançaram e a compra em definitivo não foi realizada. O governo de Bolsonaro já havia demonstrado grande resistência em adquirir a Coronavac no ano passado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade