in

Apoio de Lula à ditadura cubana pode ser um problema para o PT em 2022

Ex-presidente já havia declarado apoio aos ditadores cubanos quando ainda era chefe do Executivo.

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Um antigo apoio do ex-presidente Lula à ditadura cubana pode vir a ser um grande incômodo para o Partido dos Trabalhadores (PT) nas eleições de 2022. Além de prejudicar o PT, o próprio ex-presidente pode ser prejudicado em sua candidatura a presidente. 

Publicidade

O imbróglio ocorreu no ano de 2005. O ex-presidente se encontrava na cidade de Roma, na Itália, quando foi questionado por repórteres da Folha se considerava o regime cubano uma verdadeira democracia. Naquela ocasião Lula tentou se esquivar de responder diretamente e apenas declarou que havia a necessidade de ajudar Cuba a reconstruir a sua democracia, visto que a ilha sofria com grandes embargos impostos pelos Estados Unidos.

Recentemente em uma live transmitida por um canal pessoal, o ex-presidente declarou que os protestos que ocorreram em Cuba não passam de meras passeatas. Vale ressaltar que a população cubana se direcionou as ruas pelo direito de liberdade e fim da ditadura.

Publicidade

Assim como o seu possível candidato a presidência, o PT apenas publicou uma nota que declarou seu total apoio ao governo e a população cubana, desse modo ignorando a ditadura existente no país e que está sendo comandada por Miguel Díaz-Canel.

Publicidade

Desse modo, o tema da ditadura cubana se torna sensível para o PT e para Lula, assim como quando o assunto é a discussão sobre o combate a corrupção. Ademais o silêncio de Lula sobre Cuba já está sendo utilizado por Carlos Bolsonaro, filho do atual presidente Jair Bolsonaro, como uma crítica ao ex-presidente. Os próximos passos de Lula serão bastante importantes para definir uma possível vitória contra Bolsonaro em 2022. 

Publicidade
Publicidade