in

Barômetros Globais da Economia estabilizam em nível elevado

Indicadores analisam o desenvolvimento econômico global.

© Marcello Casal jr/Agência Brasil

Indicadores que permitem analisar o desenvolvimento econômico mundial, os Barômetros Econômicos Globais recuam em julho. Mesmo com o recuo, os indicadores continuam em patamar elevado, compatível com a sustentação da fase de recuperação do nível de atividade econômica mundial em 2021. A análise é do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV/Ibre) no documento Barômetros Econômicos Globais, divulgado hoje (9).

Publicidade

Enquanto o Barômetro Coincidente reflete o estado atual da atividade econômica, o Barômetro Antecedente emite um sinal cíclico cerca de seis meses à frente dos desenvolvimentos econômicos reais. Esses indicadores se baseiam nos resultados de pesquisas de tendências econômicas realizadas em mais de 50 países. A intenção é ter a cobertura global mais ampla possível.

O Barômetro Econômico Global Coincidente recuou 8,6 pontos em julho, para 128,6 pontos, após acumular alta de 42 pontos entre março e junho. Já o Barômetro Econômico Global Antecedente recuou 8,7 pontos, para 124,5 pontos.

Publicidade

Segundo o pesquisador do FGV/Ibre, Paulo Picchetti, o desempenho dos Barômetros Globais acumulado desde o início do ano mostra recuperação consistente ao longo das regiões e setores, na esteira da retomada de atividades ligadas a comércio e serviços possibilitada pelo avanço da imunização.

Publicidade

Por outro lado, o impacto de alguns desafios sobre os dados correntes e expectativas acarreta o recuo dos Barômetros no mês de julho. Além das preocupações sobre variantes do vírus, as restrições de oferta por parte de vários insumos fundamentais para a atividade industrial levantam preocupações sobre a dinâmica dos preços, e a consequente normalização da política econômica”, avaliou Picchetti, em nota.

Publicidade

Barômetro Coincidente

A região do Hemisfério Ocidental é a que mais contribui para a queda do Barômetro Global Coincidente, com 4,2 pontos, seguida pela Ásia, Pacífico e África e Europa, com 3,3 e 1,1 pontos, respectivamente. A primeira queda dos indicadores regionais desde fevereiro passado pode ser vista como uma desaceleração da taxa de crescimento interanual da economia global neste início de terceiro trimestre de 2021.

Barômetro Antecedente

Os indicadores antecedentes das três regiões contribuem de forma negativa para o resultado do Barômetro Antecedente em junho. O Hemisfério Ocidental é a região que mais contribui para a queda, ao recuar 3,9 pontos, seguida da Ásia, Pacífico & África, com -3,5 pontos, e da Europa, com -1,3 pontos.


Publicado em 09/07/2021 – 16:04 Por Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro


Edição: Maria Claudia

Publicidade

Escrito por Agência Brasil

Agência pública de notícias da EBC. Informações sobre política, economia, educação, direitos humanos e outros assuntos.