in

Presidente do Haiti e sua esposa são assassinados a tiros dentro de casa

Após a morte do presidente Jovenel Moise, o primeiro ministro do país afirmou que ataque foi realizado por um comando de ‘elementos estrangeiros’.

EPA / Ansa - Brasil

Na manhã desta quarta-feira, 7, o presidente do Haiti, Jovenel Moise, foi assassinado dentro de sua casa. De acordo com informações passadas pelo primeiro-ministro interino, Claude Joseph, o mandatário foi morto por um comando de “elementos estrangeiros”. Além de Jovenel, a sua esposa também foi ferida durante o ataque, chegou a ser socorrida, contudo, não resistiu e veio a óbito.

Publicidade

Após a morte do presidente e de sua companheira, Joseph afirmou que todas as medidas já estavam sendo tomadas para que fosse garantida a continuidade do Estado e ainda “proteger a nação”. Durante o ataque, disparos de armas de fogo chegaram a ser ouvidos por toda a capital do Haiti.

A morte do presidente vem em meio a um crescimento da violência política na nação caribenha. Atualmente, vale ressaltar que o país enfrenta uma divisão política, além de uma crescente crise humanitária acompanhada do desabastecimento de alimentos. Diante da situação, inclusive, é temido uma possível disseminação da desordem.

Publicidade

Além disso, em Porto Príncipe também vem ocorrendo um aumento da violência, isso envolvendo gangues e a polícia, que travam uma verdadeira batalha pelos controles das ruas.

Publicidade

Contudo, vale destacar que toda essa violência vem decorrente do aumento da pobreza e ainda da instabilidade política no país.

Publicidade

Jovenel Moise não teve um mandato fácil, isso porque desde que foi eleito presidente do Haiti, em 2017, ele vem sofrendo com acusações da oposição, que o acusava de tentar impor uma ditadura no país e, desta forma, ampliar o seu mandato no intuito de se tornar mais autoritário. Contudo, vale ressaltar que Moise sempre negou todas essas acusações.

Publicidade