in

Urgente: criminoso Lázaro tem morte confirmada após 20 dias de fuga; vídeo mostra criminoso ferido

Lázaro já esteve detido em algumas oportunidades, mas acabou fugindo da prisão em uma das saídas promovidas em feriados nacionais.

G1 / JORNAL DE BRASÍLIA

Amplamente procurado nos últimos dias, o criminoso Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, foi preso nesta segunda-feira (28), após ser baleado, em Goiás. Em vídeos que circulam nas redes sociais, o serial killer do DF aparece ferido sendo colocado em uma ambulância. Pouco depois da prisão ser oficializada, o óbito do assassino foi confirmado pela Polícia Civil goiana.

Publicidade

A operação por buscas de Lázaro movimentou mais de 300 policiais e membros das Forças Armadas nas últimas duas semanas, e gerou forte repercussão nacional.

Inicialmente, a informação da prisão do criminoso foi dada pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado, nesta manhã, através de um vídeo publicado nas redes sociais.

Publicidade

Vídeo da prisão

As buscas pelo psicopata, que assustou moradores da capital federal e Goiás ao longo dos últimos dias, se deram por meio de helicópteros e forças terrestres.

Publicidade

No último dia 9 de junho, Lázaro invadiu uma propriedade rural e vitimou três pessoas de uma mesma família no local (pai e dois filhos) e ainda sequestrou a esposa e mãe das vítimas. A mulher foi encontrada morta dias depois em um córrego. No início da semana, o autor do crime sequestrou três pessoas de uma outra família, fazendo-os reféns.

Publicidade

Segundo a polícia, ele tinha a intenção de praticar o mesmo tipo de crime contra as vítimas, mas não obteve êxito. Na fuga, ele chegou a trocar tiros contra policiais e acertou um agente de raspão no rosto. Além destes crimes, o criminoso invadiu outras propriedades para buscar mantimentos e refúgio. Criado na zona rural, ele utilizou do seu amplo conhecimento das matas para fugir das autoridades por mais de uma semana. 

Desabafo pai

Nesta semana, o pai de Lázaro, Edenaldo Barbosa Magalhães, concedeu entrevista exclusiva ao jornal “Correio Braziliense”, e externou o sentimento de medo vivido pelo filho estar à solta e destacou a vergonha pelas ações do rapaz, classificando-o como um “monstro”.

“O que mais me dói é o desespero que aquela família sentiu e o que ele fez com aquela pobre mulher. Isso não é gente. Isso é um monstro da pior espécie”, disse o pai do criminoso, que viu o filho pela última vez há 6 anos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade