in

PM mata cachorro a tiros em rua de BH e caso gera grande revolta; dono desabafa: ‘Era um membro da família’

Caso foi registrado na capital mineira nesta quinta-feira (24); policial estava de folga.

G1

Um agente da Polícia Militar matou um cachorro de estimação de uma família a tiros na manhã da última quinta-feira (24), em Belo Horizonte. Segundo o PM, o animal teria investido contra ele e a cadela dele de forma agressiva, algo que foi rechaçado pelo dono do animal que morreu e pessoas que presenciaram toda a confusão. 

Publicidade

Conhecido como Yankee, o cãozinho já estava com os seus tutores há 11 anos. Dono do animal, o analista de sistemas Alberto Luiz Andrade Simão, de 55 anos, disse que foi até o supermercado e levou o cachorro, um vira-lata. No local, ele deixou o animalzinho preso ao lado do estabelecimento, mas ele acabou escapando da guia e fugiu. 

Alberto, neste instante, saiu atrás e Yankee, e após 20 minutos tentando prendê-lo novamente, encontrou um homem, que vinha no sentido oposto, também acompanhado de um cachorro. Os dois animais se estranharam, e à distância de uns 40 metros, Alberto viu o PM, que estava apaisana, sacar a arma e dar um tiro contra o seu animal de estimação, e quando Yankee caiu no chão, ele ainda deu outro tiro.  

Publicidade

A cena causou grande revolta de pessoas que passavam pela rua. Xingamentos foram ditos ao homem armado. Uma equipe da PM foi acionada, e segundo o boletim de ocorrência do caso, o policial, que estava de folga, foi apontado como autor por dano, e o dono de Yankee por omissão de cautela na guarda de animais 

Publicidade

Comoção

Abalado pela perda do animal, Alberto contou que Yankee estava com a sua família desde os três meses de vida, e acompanhou todo o crescimento do filho dele, um adolescente de 15 anos que está desolado com a morte do animal.

Publicidade

“Ele era um membro da família. Meu filho está revoltado, isso mexe muito com o emocional do adolescente. Eu estou destruído. Era o meu único cachorro, nunca tivemos animal antes nem sei se vou ter coragem de ter outro depois disso”, desabafou Alberto.

Publicidade
Publicidade
Publicidade