in

Justiça brasileira recusa prisão domiciliar a “herdeiro de Pablo Escobar” no Brasil

Extraditado para o Brasil em maio, o narcotraficante possui várias doenças e pesa 170kg

Reprodução/Uol Notícias

Conhecido como Dom Pulo, Jesus Einar Lima Lobo Dorado teve sua solicitação de prisão domiciliar negada pela Justiça do estado do Acre. O cidadão da Bolívia, de 54 anos, foi extraditado no mês de maio e é acusado de traficar pelo menos 500 quilos de cocaína para o Brasil em 2014.

Publicidade

Prisão e crimes de Dom Pulo

De acordo com investigações, Dom Pulo comandava a gangue chamada de Clã Lima Lobo, organização que herdou o Cartel de Medellín comanda por Pablo Escobar. O criminoso atuava na Bolívia e era o cérebro do transporte de drogas em alguns países da América do Sul, como Brasil, Peru e Colômbia.

Einar foi transferido para a cadeia de Gameleira, no estado do Mato Grosso do Sul. Inicialmente o criminoso foi preso pela polícia boliviana em 2019, em Santa Cruz de La Sierra, onde sofreu três ataques cardíacos.

Publicidade

Entre as acusações sofridas pelo criminoso está o transporte de 326 quilos de cocaína para o Mato Grosso em 2014 e 200 quilos da droga para o Acre. Em ambos as acusações, as drogas foram apreendidas, porém sem a prisão do narcotraficante.

Publicidade

Defesa de Dom Pulo

Jesus Einar possui 170 quilos e possui várias doenças como claustrofobia, obesidade mórbida, diabetes, insuficiência cardíaca e pressão alta. Devido às doenças, quando estava preso na Bolívia foi autorizado sua prisão domiciliar, porém, a decisão não foi mantida no Brasil.

Publicidade

Para seus advogados, a decisão é descabida, pois seu cliente é réu primário, possui várias doenças além de testar positivo para o coronavírus neste ano. Por isso ele corre risco de morrer na prisão, visto que precisa de tratamento médico com urgência.

Publicidade
Publicidade
Publicidade