in

Jovem morre durante parto de gêmeos e deixa seis filhos; mãe desabafa: ‘Covid caiu como uma bomba’

Avó das crianças ficou sob a responsabilidade de cuidar deles após o falecimento da filha.

G1

A Covid-19 segue devastando as famílias brasileiras de forma arrebatadora. Ao longo de quase 1 ano e meio de pandemia, o Brasil completou neste último sábado (19), a marca negativa de 500 mil ceifadas por conta de complicações da doença.

Publicidade

Residente em Amaraji, na Zona da Mata Pernambuca, a agricultora Maria José da Silva, de 53 anos, convive com a dor de ter perdido a filha, Maria Uilma da Silva, mais uma vítima fatal do vírus, que morreu dias após dar à luz gêmeos.

Saudável, Uilma tinha 27 anos, e acabou não resistindo à doença após um parto prematuro de apenas cinco meses de gestação. A jovem esperava gêmeos, mas somente um bebê sobreviveu. Além da pequena Agatha, outros cinco filhos da dona de casa ficarão órfãos. 

Publicidade

“A Covid caiu como uma bomba. A gente não pensava que ela estava com essa doença. Eu estava no campo, trabalhando, quando ela teve uma hemorragia. Chamou a vizinha e foi para o hospital. Lá, tiraram os bebês na hora. Ela foi logo intubada e, depois, morreu”, disse a mãe da vítima em entrevista ao G1.

Publicidade

Comovente 

Segundo a agricultora, Uilma sequer teve tempo hábil de dar nomes aos gêmeos. Com a perda da filha, a criação das seis crianças ficou sob a responsabilidade dela, que conta com o auxílio da neta mais velha, de 11 anos, mas acabou deixando o trabalho.

Publicidade

Com histórico de pessoa saudável, Uilma precisou viajar 100 quilômetros para salvar a sua vida e a dos gêmeos, se deslocando até a capital pernambucana. A expectativa dos familiares era que a gestação dela ocorresse normalmente, sem intercorrências, a exemplo das outras oportunidades, mas a Covid-19 mudou todos os planos e ceifou sonhos da jovem pernambucana.

Logo após o parto, Uilma foi intubada, isolada na Unidade de Terapia Intensiva, e sequer pôde ver os bebês ou familiares. Ambos os bebês também nasceram com Covid-19, o primeiro acabou morrendo após 14 dias do parto, a jovem de 27 anos morreu seis dias antes, sem ter nenhum tipo de conhecimento do que aconteceu com os bebês. A história gerou forte comoção no município de Amaraji. 

Publicidade