in

Estudante de 16 anos morre ao ser atingido por bala perdida dentro de casa no RJ; mãe passa mal e cena comove

Jovem entrou para a estatística como mais uma vítima de disparo de bala perdida no Rio.

Metrópoles

Um estudante de 16 anos morreu após ser atingido na testa por uma bala perdida no Rio de Janeiro. Thiago Santos da Conceição estava dentro de casa, no morro da Fé, situada no Complexo da Penha, no Rio, quando na manhã da última sexta-feira (18) foi atingido.

Publicidade

A Polícia Civil confirmou que realizou uma operação na região da residência onde o menino morava, mas negou que tenha existido troca de tiros com bandidos nas proximidades. 

De acordo com informações dos familiares, a vítima havia acabado de acordar e estava na sala, próximo à janela, quando foi alvejado na testa. A família ainda alega ter solicitado socorro a policiais que passavam pela rua no momento, e se deparam com a recusa dos agentes. O fato foi destacado pelo tio da vítima. A morte do adolescente gerou forte comoção na comunidade.

Publicidade

Thiago foi levado às pressas por familiares até o hospital estadual Getúlio Vargas, situado na Penha, e acabou não resistindo aos ferimentos. 

Publicidade

Mãe passa mal

A mãe da vítima acabou passando mal ao tomar conhecimento da morte do filho e teve que ser amparada e atendida por uma equipe médica. 

Publicidade

Apuração 

Questionado sobre a morte do jovem, o subsecretário de Planejamento e Integração Operacional da Polícia Civil, Rodrigo Oliveira, disse em entrevista coletiva que o caso será investigado, mas rechaçou que agentes tenham autuado na comunidade onde o jovem morava. 

“Com relação ao adolescente baleado, a gente não tem todas as informações. Isso será objeto de uma investigação. No local onde ele foi baleado não havia nenhum policial, naquela localidade. Eles perceberam um tumulto à distância, e obtiveram a informação de que o adolescente tinha sido baleado”, afirmou o subsecretário. 

Operação

A Polícia Civil confirmou ter realizado uma operação no complexo da Penha, em ação conjunta e paralela com polícias do Pará e Amazonas. A operação foi intitulada de “Coalização Pelo Bem”, sendo realizada simultaneamente em São Paulo e Amazonas. No Rio de Janeiro, o intuito era prender Mano Kaio, criminoso tido como chefe da facção Comando Vermelho. Ele, no entanto, não foi capturado. 

No decorrer da operação, houve intenso tiroteio e mortes de duas pessoas – o óbito de Thiago não foi contabilizado. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade