in

Governo de São Paulo declara que irá vacinar toda população adulta contra o Covid-19 até o dia 15 de setembro

Promessa é realizada através de mais uma antecipação do calendário de vacinação.

Divulgação/Governo de São Paulo/Veja SP

O governo de São Paulo realizou mais uma vez a antecipação do calendário de vacinação contra a Covid-19 no estado. O anúncio foi realizado pelo próprio governador do estado, João Doria (PSDB) nesta última segunda-feira (13).

Publicidade

De acordo com o governador, toda a população adulta do estado receberá a primeira dose da vacina até o dia 15 de setembro. Essa nova data estipulada por Doria antecipa em um mês o calendário de vacinação de São Paulo.

De acordo com as informações repassadas pelo governador de São Paulo, o novo calendário de vacinação do estado ficou distribuído da seguinte forma:

Publicidade
  • Pessoas de 50 a 59 anos: de 16 a 22 de junho;
  • Pessoas de 43 a 49 anos: de 23 a 29 de junho;
  • Pessoas de 40 a 42 anos: 30 de junho a 14 de julho;
  • Pessoas de 35 a 39 anos: 15 a 29 de julho;
  • Pessoas de 30 a 34 anos: de 30 de julho a 15 de agosto;
  • Pessoas de 25 a 29 anos: de 16 a 31 de agosto;
  • Pessoas de 18 a 24 anos: de 1º a 15 de setembro.

Apesar do calendário fornecido pelo governo de São Paulo, vale lembrar que cada cidade está autorizada a readequar o calendário, pois em muitos municípios não será possível cumprir de forma rigorosa o novo calendário de vacinação, muito por causa da falta de doses dos imunizantes.

Publicidade

O estado de São Paulo agora está dentro do grupo de estados que fazem a projeção de vacinação total da população adulta até o mês de setembro. Juntamente com São Paulo encontram-se: Sergipe, Rio Grande do Sul, Maranhão e Pará. Vale lembrar que a antecipação realizada se baseia na promessa de entrega de imunizantes do Programa Nacional de Vacinação.

Publicidade

Durante o seu pronunciamento, Doria não deixou escapar a oportunidade de criticar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e declarou que a ciência vencerá o negacionismo e as vacinas vencerão o vírus. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade