in

Babá de Henry sugeriu que Jairinho também agredia filho da própria irmã; novas mensagens vem à tona e impactam

Parlamentar e mãe de Henry estão detidos desde o dia 8 de abril, e cumprem prisão preventiva.

REPRODUÇÃO RECORD TV

Detido desde o dia 8 de abril por conta de ser o principal suspeito na morte do menino Henry Borel, de 4 anos, o vereador e médico Jairo Santos Souza Júnior, o Dr. Jairinho, foi apontado em uma situação de possível agressão.

Publicidade

Em supostas conversas com o namorado, a babá do menino, Thayná de Oliveira Ferreira, traz detalhes de um episódio de agressão do parlamentar contra Henry, e sugere que ele faz o mesmo com o sobrinho de 3 anos, filho da irmã Thalita Fernandes dos Santos, que era cuidado pela mãe dela, Maria Lucia de Helena Oliveira. As informações foram obtidas com exclusividade pela revista “Veja”. 

No dia 2 de fevereiro, mais de um mês antes de Henry morrer, Thayna relata ao namorado que o menino estava trancado no quarto com Jairinho, chorando e gritando “prometo”. Pouco tempo depois, em meio a este cenário de suposta agressão, a jovem conta que a mãe relatou que o parlamentar faz o mesmo o sobrinho.

Publicidade

“Minha mãe fala que ele faz isso com T. também, e que T. só obedece a ele. Mas sou super contra essa teoria de que tem que aprender as coisas na marra, sabe?”, disse a babá em mensagens de texto presentes no inquérito do “Caso Henry”, e obtidas pela revista Veja. 

Publicidade

Registro suspenso

Nesta semana, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) oficializou a suspensão do registro profissional de Jairinho, de forma temporária, impedindo o parlamentar de realizar o exercício da medicina.

Publicidade

O órgão ainda discutirá se irá cassar definitivamente os direitos do médico. O processo está correndo sob sigilo. O Conselho colocou como principal questionamento o fato do parlamentar não ter prestado atendimento ao enteado na madrugada do dia 8 de março. 

Publicidade
Publicidade