in

Mãe que deitou para dormir e acordou tetraplégica sonha em abraçar as filhas novamente: ‘É muito difícil’

Patrícia de Castro vive drama há três meses e não consegue diagnóstico e tratamento médico.

RECORD TV

O drama de Patrícia de Castro, de 35 anos, foi exposto na última quarta-feira (9) pelo Balanço Geral, da RecordTV e causou comoção no público. Em matéria exibida no programa, a autônoma relatou o que vem enfrentando há três meses desde que deitou para dormir e acordou tetraplégica no dia seguinte. Debilitada e dependendo do auxílio do marido, Patrícia sonha em abraçar as filhas novamente.

Publicidade

Flávio, marido de Patrícia contou que a esposa já passou por dois reumatologistas, três neurologistas, realizou exames e que nenhum médico conseguiu descobrir o que teria acontecido. Com dificuldades financeiras para arcar com os gastos com remédios, consultas e exames a família está contando com ajuda de amigos.

Acamada, sem poder se movimentar do pescoço para baixo, Patrícia sonha em voltar a fazer as tarefas básicas do dia a dia e poder abraçar as filhas. “A primeira coisa que eu queria fazer quando eu ganhasse, pelo menos o movimento dos braços, era poder abraçar elas [minhas filhas], poder dar um carinho nelas”, relatou a autônoma.

Publicidade

Patrícia disse que a filha caçula parece não entender o que aconteceu e sente falta do carinho de mãe. “A mais novinha sente muita falta disso, fica toda hora perguntando se eu não posso abraça-la”, disse a mãe. “É muito difícil”, lamentou Patrícia.

Publicidade

Patrícia contou que já esteve em hospitais de Curitiba e Brasília, mas não foi aceita para um possível tratamento. Segundo a autônoma, o motivo seria pelo fato de o tratamento ser muito caro e com isso ela estaria sendo deixada de lado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade