in

Jovem acusado de matar a própria mãe fala pela primeira vez e se defende do crime: ‘Não tinha motivos’

Bruno Eustáquio teve prisão preventiva decretada pela Justiça após conclusão do inquérito.

R7 - Montagem

Acusado de ter matado a própria mãe, o jovem Bruno Eustáquio Vieira, de 23 anos, mesmo dado como procurado pela Polícia Civil, concedeu uma entrevista exclusiva ao Núcleo de Jornalismo Investigativo da Record TV na última quarta-feira (9), e negou ter sido responsável pela morte de Márcia Lanzane, de 44 anos, ocorrida em dezembro do ano passado, no Guarujá, litoral paulista. 

Publicidade

Em reportagem exibida no programa “Balanço Geral”, Bruno rechaçou ter assassinado a própria mãe objetivando a herança, conforme foi apontado pelo Ministério Público nesta semana. Após a conclusão do inquérito, a Justiça solicitou a prisão preventiva do jovem, que nega a autoria do crime. 

“Eu sei que eu não matei minha mãe, então eu não sei o que aconteceu. Nenhuma (intenção), não tinha motivo, intenção, não tinha nada”, disse Bruno Eustáquio, sendo indagado na sequência pela repórter. 

Publicidade

“Se não havia intenção, por que você chegou a esganá-la?”, questionou a jornalista Marcela Verasquim. “Eu tava tentando que a gente parasse de brigar, só isso, eu tava tentando segurar ela”, rebateu o jovem. 

Publicidade

Bruno ainda revelou que escondeu os arquivos das câmeras de segurança da residência dentro do forno do fogão por “medo” de que os investigadores achassem “exatamente o que estão achando hoje, que eu teria matado minha mãe”. As imagens gravadas mostram ele entrando em luta corporal com a mãe e a esganando.

Publicidade

Buscas 

Na última terça-feira (8), a Polícia Civil divulgou fotografias que simulam possíveis disfarces do jovem de 23 anos, com o intuito de ajudar na localização dele, considerado foragido da Justiça. 

Segundo as investigações, Bruno Eustáquio fingiu luto e mostrou desespero para amigos e pessoas próximas em sua versão dos fatos. Contudo, ele acabou apresentando divergências nos depoimentos, laudos comprovaram que Márcia havia sido morta por asfixia, e o vídeo das câmeras de monitoramento complicaram a situação do jovem. 

Publicidade
Publicidade