in

Auditor afastado do TCU confessa que o pai passou dados sobre Covid a Bolsonaro

Auditor que criou o relatório utilizado por Bolsonaro confessou que teria falado para o pai sobre sua opinião.

Reprodução/Jovem Pan

Alexandre Figueiredo é um auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) e foi afastado do seu cargo depois de ter criado um relatório, questionando a quantidade de vítimas de Covid-19 e esse relatório ter sido utilizado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O auditor confessou, a seu chefe imediato, que chegou a comentar com o seu pai, que é militar e amigo do presidente, sobre os dados em seu relatório.

Publicidade

Seu pai foi o responsável por enviar o relatório ao presidente e, consequentemente, fez com que Bolsonaro divulgasse a falsa notícia que o TCU estaria questionando o número de mortes divulgadas de Covid-19 no Brasil.

Entendendo o caso

Nesta segunda-feira (07), o presidente fez uma declaração, utilizando como base um relatório do TCU, indicando que o número real de mortes, causadas por Covid-19 no Brasil, estava acima da realidade. Devido à grande repercussão nacional, o órgão abriu uma investigação sobre o relatório.

Publicidade

Na tarde desta quarta-feira (09), a presidente do TCU tomou a decisão de afastar o servidor responsável pelo relatório, Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, do seu cargo. Um inquérito administrativo foi aberto contra o servidor, que ficará afastado por um período de 60 dias para que não interfira na apuração do caso.

Publicidade

Também foi informado, pela presidente do órgão, que será pedido à Polícia Federal que faça um inquérito para apurar a conduta do servidor do TCU.

Publicidade

O que o auditor disse a seus chefes

Segundo informações encaminhadas à corregedoria do TCU, o auditor Alexandre disse a seu pai o teor da sua opinião sobre o relatório. Depois disso, seu pai, que é militar e amigo próximo do presidente, enviou o texto a Bolsonaro.

Publicidade
Publicidade