in

PM Leandro teria se envolvido em briga antes de tortura e morte; polícia busca quem o atraiu à comunidade

De acordo com uma testemunha, o soldado teria sido reconhecido por criminosos após uma suposta briga.

BandNews FM | Divulgação

A Polícia do Rio de Janeiro segue buscando os responsáveis pela morte do soldado Leandro Patrocínio. O corpo do PM foi encontrado no último sábado (5), em um terreno baldio na comunidade de Heliópolis, em São Paulo. Desaparecido há cerca de uma semana, o policial havia sido visto pela última vez saindo do Metrô de Sacomã.

Publicidade

Leandro teria se encaminhado até a comunidade supostamente para se encontrar com alguém. De acordo com o site UOL, uma testemunha contou à polícia que o soldado teria se envolvido em uma briga quando foi reconhecido por criminoso. O PM foi sequestrado, torturado e morto.

A polícia teve acesso ao cativeiro para onde Leandro foi levado. O relógio do PM foi encontrado no local, bem como marcas de sangue nas paredes. Ainda não se sabe se Leandro foi executado neste cativeiro ou em outro local. A polícia pediu a quebra de sigilo telefônico para descobrir quem o atraiu à comunidade na noite de sua morte.

Publicidade

Leandro estaria nas proximidades de uma casa noturna e teria usado seu cartão de crédito em um estabelecimento. O dono da boate prestou depoimento à polícia e negou que o policial tenha entrado na balada. O celular de Leandro e sua arma ainda não foram localizados.

Publicidade

A polícia segue fazendo uma intensa operação na comunidade de Heliópolis em busca dos suspeitos de terem cometido o crime. O Ministério Público de São Paulo já pediu a prisão de três suspeitos que já foram identificados pela Justiça. Ao todo, a polícia acredita que cinco pessoas tiveram participação no crime.

Publicidade
Publicidade
Publicidade