in

Tragédia: a real história do bebê encontrado morto em praia da Noruega

Encontrado na virada do ano na costa da Noruega, identidade de bebê era desconhecida.

Reprodução/Bol - Uol

No início deste ano, a polícia da Noruega emitiu uma nota informando que foi encontrado em uma praia do país o corpo de um bebê. A criança foi encontrada por policiais durante a virada do ano, porém, segundo a polícia, não foi registrado nenhum desaparecimento de bebê no país.

Publicidade

Além de nenhuma família entrar em contato com a polícia, as roupas vestidas pela criança não eram de marcas do país, indicando que não se tratava de uma criança norueguesa. Após um exame de DNA foi possível constatar que o corpo se tratava de Artin, um bebê de 15 meses.

De onde era o bebê Artin

Artin era um menino refugiado que estava desaparecido. Ele veio a falecer após um naufrágio no Canal da Mancha em 27 de outubro do ano passado. Artin e sua família estava em uma embarcação que afundou antes de chegar no seu destino, Reino Unido, passando pela França.

Publicidade

Além do bebê, outros quatro membros da família não sobreviveram ao naufrágio. Rasoul Nejad, de 35 anos, Shiva Panahi, de 35 anos, Anita, de 9 anos, e Armin, de 6 anos, também faleceram. A família vivia no oeste do Irã, na cidade de Sardasht, próximo à fronteira com o Iraque

Publicidade

Partida da família para a Europa

As pessoas curdas-iranianas vêm sofrendo perseguição política e econômica no Irã. Sendo assim, milhares arriscam suas vidas para viver em países da Europa.

Publicidade

Segundo a BBC, mensagens de texto foram enviados por Shiva Panahi dizendo entender o risco de atravessar o Canal da Mancha de barco, porém, eles não tinham outra escolha. Ainda Ponahi disse que tinha mil tristezas em seu coração, mas queria deixar o seu passado para trás. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade