in

Prédio desaba no Rio de Janeiro e deixa vários feridos; cenário é desolador: ‘Escombros e dor’

Testemunhas relataram terem ouvido barulho de estalos na estrutura antes do desmoronamento.

Reprodução - TV Globo

Um desabamento de prédio deixou ao menos 12 pessoas na madrugada desta quinta-feira (3), na comunidade Rio das Pedras, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Logo após o desabamento da estrutura de quatro andares, houve um incêndio, que precisou ser controlado por socorristas do Corpo de Bombeiros.

Publicidade

Além dos bombeiros, policiais militares, Guarda Municipal, integrantes da Defesa Civil e da Secretaria Municipal de Assistência Social também estiveram no local atendendo a ocorrência. 

Ruas do entorno do prédio tiveram que ser interditadas para a realização dos resgates. Até o fechamento desta matéria não havia sido revelada a causa que levou o desabamento e nem se houve alguma vítima fatal.

Publicidade

O acidente

O desabamento do prédio ocorreu por volta das 3h20. Um pouco antes do desmoronamento, testemunhas disseram que ouviram barulho de explosão. Ainda segundo as testemunhas, há ao menos quatro moradores desaparecidos entre os escombros. 

Publicidade

A tragédia ocorreu na mesma região em que foi registrado o incidente de Muzema, que vitimou 24 pessoas e deixou sete feridos após dois prédios do condomínio Figueiras de Itanhangá, desmoronar. Este caso aconteceu em 2019. A região é dominada por milicianos, que desempenham a função de grileiros em terras de Rio das Pedras. 

Publicidade

Vereador pelo PSOL-RJ, o parlamentar Chico Alencar confirmou que o prédio que desabou integra a “cidade ilegal, das milícias”.

“No lugar dos tapetes de cores de Corpus Christi, escombros e dor” afirmou o parlamentar se referindo ao feriado religioso desta quinta-feira (3). 

Presente no local, a Defesa Civil identificou que outros quatro imóveis vizinhos ao prédio que desabou foram afetados em suas respectivas estruturas. 

Publicidade
Publicidade