in

Mourão admite que pode deixar o governo e fala sobre chapa de Bolsonaro em 2022: ‘Deve escolher outra pessoa’

Em entrevista, o vice-presidente falou sobre seu futuro dentro do governo Bolsonaro e respondeu sobre as eleições de 2022.

Estado de Minas

Em uma entrevista cedida à Rádio Gaúcha, na manhã da última quarta-feira (2), o vice-presidente da República, o general Hamilton Mourão (PRTB), admitiu a possibilidade de deixar o cargo que ocupa atualmente antes do fim do mandato.

Publicidade

Ao ser questionado sobre a vice-presidência, Mourão citou um princípio dentro da brigada paraquedista que diz “essa foi a tarefa a que eu me propus”, porém, segundo o general, uma ou outra ação pode vir a ocorrer e levá-lo a decidir pela saída do cargo antes do fim de seu mandato, para concorrer a outro cargo eletivo.

Caso o general decida concorrer a uma das vagas para senador pelo estado do Rio Grande do Sul, possibilidade que vem sendo estudada por ele, será necessária sua saída do cargo de vice-presidente ao menos seis meses antes das eleições. Com isso, o primeiro nome na linha de sucessão da Presidência da República passa a ser Arthur Lira, atual presidente da Câmara dos Deputados.

Publicidade

Além do questionamento acerca de uma possível candidatura a outro cargo, Mourão também foi perguntado sobre a possibilidade de concorrer às eleições presidenciais de 2022 ao lado de Jair Bolsonaro.

Publicidade

Mourão então afirmou que até o momento o presidente não tocou no assunto com ele, no entanto, segundo ele, tudo indica que Bolsonaro deverá escolher outra pessoa para o acompanhar na chapa que concorrerá em 2022.

Publicidade

É visível que ultimamente o presidente e seu vice não entram em acordo a respeito de pautas relacionadas ao governo, principalmente em relação à pandemia da Covid-19. Um levantamento do portal de notícias Metrópoles apontou que, em 2020, os dois teriam se reunido de maneira reservada apenas três vezes.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.