in

Grávida que morreu vítima da Covid-19 implorou para ser intubada; última mensagem comove

Mulher de 35 anos deu entrada em uma UPA de Salvador na última sexta-feira (28).

G1

Grávida do terceiro filho, a técnica de enfermagem Taíse Santos, de 35 anos, foi mais uma vítima da Covid-19 em solo nacional. A paciente morreu no último sábado (29), enquanto aguardava uma transferência para um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Salvador.

Publicidade

Antes de perder a batalha para a doença, Taíse enviou uma mensagem à sogra afirmando que queria sair da UPA situada no bairro de San Martin, por conta própria, para buscar atendimento em uma maternidade. A paciente estava na unidade desde a última sexta (28), quando apresentou falta de ar e pressão alta. 

Na UPA, a técnica de enfermagem recebeu o diagnóstico positivo para a Covid-19, e foi prontamente levada para a ala vermelha, onde esperava uma transferência para um leito de UTI. A vaga não apareceu e o quadro dela acabou se agravando, resultado na morte da paciente. 

Publicidade

Última mensagem

Antes de ficar em um estado gravíssimo, Taíse enviou mensagens para a sogra pelo celular, e ameaçou deixar o local para pedir ajuda em uma maternidade. 

Publicidade

“Se eles não me entubarem hoje, amanhã vou pedir para sair por minha conta e vou para a maternidade. Toda hora ficam dizendo ‘ela veio para cá porque quis, é por conta dela'”, afirmou Taíse, a 1h15 de sábado.

Publicidade

Horas mais tarde, a mulher de 35 anos foi atendida por uma equipe do Samu, que realizou o parto de emergência para salvar a vida do bebê, e obtiveram êxito.

Marido desabafa 

Abalado pela perda, o marido de Taíse, Wilson Pereira fez um desabafo sobre os questionamentos que a companheira ouviu na UPA, e disse que nenhuma pessoa busca atendimento em um hospital visando lazer. Ele ainda aproveitou para agradecer ao médico do Samu, responsável por realizar o parto de emergência, que salvou a vida da pequena Maria Isabel.

Publicidade
Publicidade
Publicidade