in

Menino de 3 anos é baleado no Rio de Janeiro após parar para beber água; criança foi intubada

Criança estava acompanhada de um tio e foi atingida enquanto esperava copo de água.

G1 - Metrópoles - Montagem

Mais um caso de violência contra criança foi registrada no Rio de Janeiro. Neste domingo (30), em Senador Camará, Zona Oeste do Rio, um menino de 3 anos foi atingido por um disparo de arma de fogo enquanto estava parado para beber água em um estabelecimento. A vítima identificada como Heitor de Souza teve o fêmur fraturado e precisou passar por um procedimento cirúrgico.

Publicidade

De acordo com o último boletim divulgado pela unidade hospitalar, o quadro da criança é estável. Em entrevista ao portal G1, Sara Souza, mãe de Heitor, disse que ele estava acompanhado de um tio. Por volta das 9h, o menino pediu para beber água, e o tio entrou com ele em um bar.

Heitor ficou sentado em uma cadeira enquanto o homem foi pegar a água. Neste ínterim, houve um barulho e o menino começou a chorar. Em um primeiro instante, o tio pensou que se tratava de estouro de pneu de carro, mas acabou sendo surpreendido ao ver a criança sangrando. 

Publicidade

“Quando o meu tio foi trazer água para ele, ele tava chorando, meu tio ouviu um barulho, aí meu tio foi e falou para ele: ‘não chora, não, que foi um pneu do carro que estourou’. Quando meu tio olhou, estava pingando sangue nele”, disse a mãe da vítima. 

Publicidade

Perseguição 

Em seu relato à polícia, o tio disse que um carro perseguia uma motocicleta com dois ocupantes e houve disparos. Dois deles atingiram o bar, acertando uma cadeira que estava ao lado do menino, e o outro tiro alvejou o fêmur da vítima, provocando uma fratura. 

Publicidade

Desesperado ao tomar conhecimento de que o menino havia sido ferido, o tio foi para o meio da pista para pedir socorro. Um proprietário de uma loja próxima ofereceu ajuda e o menino foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Senador Camará. Pouco depois, a criança de três anos foi transferida para o Hospital Municipal Albert Schweitzer.

Para realizar o procedimento cirúrgico de colocação de uma placa no fêmur, Heitor teve que ser intubado. 

Apesar de registrado na 33ª DP (Realengo), o inquérito será apurado pela 34ª DP (Bangu), que é a delegacia responsável pela área onde o caso ocorreu.

Publicidade
Publicidade