in

Sem comorbidades, grávida com Covid-19 tem bebê prematuro e morre; pai desabafa: ‘Não sei o que fazer’

A jovem estava grávida de seis meses quando teve um parto prematuro e morreu em Marília.

G1

A Covid-19 tem tirado a vida de milhares de pessoas no mundo inteiro. Infelizmente, famílias têm sido dizimadas por causa do vírus. Foi justamente isso que aconteceu com a família moradora de Marília, no interior de São Paulo. Renato Serrano perdeu a mulher e a filha recém-nascida neste mês de maio.

Publicidade

Ele abriu o coração e falou sobre o sofrimento que está passando e ressaltou que os planos que tinham foram todos interrompidos. Jovem e sem comorbidades, Natália Siqueira, de 30 anos, foi diagnosticada com coronavírus após o pai que fazia tratamento contra câncer contrair a doença. Ele também não resistiu e morreu de Covid-19.

Natália começou a ter uma crise de tosse e foi levada ao Pronto Atendimento e recebeu liberação após ter recebido oxigênio. Como continuou se sentindo mal, voltou novamente ao PA e foi internada no dia 9 de abril, sendo intubada dois dias depois porque estava muito nervosa. Renato falou sobre a angústia da amada no hospital e que um dia era uma notícia boa, que dava um alívio a família, mas de repente era algo ruim de novo.

Publicidade

Ainda de acordo com o noivo de Natália, após um tempo que ela estava internada houve uma melhora em seu estado de saúde e chegou até ser considerada curada do coronavírus. Contudo, ela acabou contraindo uma bactéria hospitalar e sofreu uma parada cardiorrespiratória na manhã do dia 15 de maio. Foi quando os médicos realizaram o parto da pequena Olívia.

Publicidade

A criança nasceu aos seis meses de gestação e por causa da prematuridade não resistiu e morreu. A pequena nasceu com apenas 640 gramas e não tinha 100% do pulmão formado. A noiva e a filha foram enterradas juntas. “Eu nem consigo pensar nos meus próximos minutos de vida, porque eu tinha moldado a minha vida para elas duas, e agora eu não sei mais o que fazer. Eu não queria que elas tivessem passado por isso”, desabafou Renato. A família está extremamente abalada com as perdas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade