in

Bolsonaro ameaça acionar as forças armadas para que Brasil volte à normalidade

Em seu discurso, o presidente falou novamente que conta com o auxílio dos militares caso seja necessário.

Amazonas Atual

Na última quinta-feira (27), o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, esteve em São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, marcando presença na inauguração da Ponte Rodrigo Cibele. Na ocasião, o presidente afirmou que o Brasil não vive um estado de normalidade e que, para preservar a liberdade ao povo brasileiro, conta com o auxílio dos militares.

Publicidade

Segundo Bolsonaro, o que o brasileiro quer é paz, progresso e liberdade, sendo que este último passaria pelos militares. De acordo com ele, são as forças armadas quem decidem, em qualquer nação do mundo, como o povo vive.

O presidente continuou, então, afirmando que ninguém estava ali para realizar discurso político, porém, ressaltou que todos somos seres políticos. “Se Deus deu essa missão para nós, vamos aproveitá-la no bom sentido”, disse ele.

Publicidade

Bolsonaro ainda acrescentou dizendo que tem conversado muito com o ministro da Defesa, o general Braga Netto, e que tem total certeza de que caso seja necessário, os militares agirão “dentro das quatro linhas da Constituição”.

Publicidade

Para ele, a liberdade do povo brasileiro estaria sendo ameaçada pelas medidas de restrição adotadas por governadores em seus respectivos estados a fim de combater o avança da pandemia do coronavírus.

Publicidade

Em outro trecho de seu discurso, o presidente ainda afirmou que a Amazônia ainda pertence ao Brasil devido à presença dos militares na região. “É um sacrifício viver longe do conforto dos grandes centros, mas todo mundo tem como dar um pouco de si pelo país”.

O presidente ainda aproveitou a oportunidade para citar as eleições de 2022. Segundo ele, quem realizar uma análise dos acontecimentos dos últimos 20 anos no Brasil não errará na escolha.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.