in

CPI da Covid aprova novos depoimentos de Pazuello e Queiroga para esclarecer divergências

Os senadores esperam esclarecer algumas divergências de versões que ficaram nos primeiros depoimentos dos dois.

Gabriela Biló/Estadão

Nesta quarta-feira, 26, a CPI da Covid do Senado aprovou as convocações de nove governadores, isso após integrantes e ex-integrante do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) já terem sido ouvidos no processo.

Publicidade

De acordo com o Estadão, o principal objetivo da cúpula do colegiado é a neutralização das críticas, inclusive através das redes sociais, de que a CPI tem como foco apenas a gestão federal na pandemia do coronavírus.

Mesmo assim, vale ressaltar que tais convocações são polêmicas, já que ainda existem divergências se esses deputados podem recusar a comparecer, isso porque de acordo com o artigo 50 da Constituição, somente é permitida a convocação de autoridades que estariam diretamente subordinadas ao presidente da República. Contudo, a interpretação de técnicos do Senado é de que esses deputados podem ser convocados desde que o assunto seja restritamente de competências da comissão – no caso da CPI da Covid, a transferências de recursos federais.

Publicidade

Além disso, o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e também o atual titular da pasta, Marcelo Queiroga, também foram chamados a depor novamente. Com isso, senadores esperam conseguir esclarecer algumas divergências de versões, como por exemplo a respeito do atraso na compra de imunizantes e a crise de oxigênio que aconteceu em Manaus no início de 2021.

Publicidade

Além de ministros e governadores, a CPI também chamará para depoimento diversas pessoas que são ou já foram ligadas ao governo Bolsonaro, como por exemplo, o marqueteiro Marcos Mendes, mais conhecido como Markinho Show, que já chegou a trabalhar com o ex-ministro Pazuello.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade