in

‘Foi desolador ouvir que não havia resistido’, lamenta marido de mulher que morreu de Covid, 26 dias após parto

O marido fez questão de ressaltar o quanto a esposa era apaixonada pela vida.

G1

O marido da mulher que morreu menos de um mês após o nascimento do primeiro filho está desolado com a perda da esposa. Adriano Rodrigues e a esposa, Flávia Carneiro de Araújo, estavam felizes com a chegada de Ravi, mas o casal testou positivo para o coronavírus e, por esse motivo, o obstetra da contadora decidiu marcar uma cesárea de emergência.

Publicidade

De acordo com o marido da vítima, o nascimento do pequeno Ravi transcorreu dentro da normalidade, os problemas começaram a surgir depois que a esposa foi para o quarto. Ela teve pressão baixa e episódios de fraqueza; a situação piorou depois que recebeu alta e foi para casa.

A família estava contente com a chegada da criança, porém todos ficaram muito preocupados com saúde da contadora. Ela morreu neste último domingo, 23 de maio, mas foi intubada no dia 10. Como a mulher apresentou piora em seu estado clínico, a família foi chamada para poder fazer uma visita no domingo, porém quando estavam se preparando para entrar no CTI, Flávia sofreu uma parada cardíaca.

Publicidade

Os médicos conseguiram fazer a reanimação, e os familiares puderam visitar a contadora, o momento acabou sendo uma despedida. O marido está desolado com a perda da amada e falou sobre o sofrimento que está enfrentando. “Foi desolador ouvir que ela não havia resistido. Eu estou angustiado, triste, preocupado com o futuro com meu filho, pedindo que Deus a receba e que fique perto dela. Toda família sofre muito, somos muito unidos”, desabafou.

Publicidade

Adriano fez questão de ressaltar o quanto a esposa gostava de viver. Ele disse que Flávia era muito sorridente e gostava de estar junto da família, que é muito unida. Agora, o pai do pequeno Ravi está contando com a ajuda da sogra e da cunhada, que estão cuidando do recém-nascido. Para homenagear a mulher, a família decidiu que vai cremar o corpo e jogar as cinzas dela no sítio, local onde gostava de ficar junto dos familiares.

Publicidade

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.