in

Caso Henry: Monique Medeiros pede desinterdição do apartamento que morava com Dr. Jairinho

Após a morte de Henry Borel, de 4 anos, Monique Medeiros e o namorado, Dr. Jairinho, foram presos preventivamente.

Reprodução / Agência O Globo

Os advogados de Monique Medeiros, mãe de Henry Borel, de 4 anos, pediram à juíza Elizabeth Machado Loura, titular do II Tribunal do Júri, para que o apartamento onde ela morava com o vereador e médico Jairo Souza Santos Júnior, mais conhecido como Dr. Jairinho (sem partido) seja desinterditado. O pedido foi feito pelos advogados Thaise Mattar Assad, Hugo Novais e Thiago Minage.

Publicidade

De acordo com informações divulgadas pelo O Globo, na petição enviada à juíza, os defensores de Monique ressaltaram que o prazo de 30 dias para que fosse realizada a perícia criminal no local já foi concluído e ainda que no apartamento existem “elementos de provas a serem colhidos”.

E não foi só isso. Com base no princípio da ampla defesa, os defensores de Monique Medeiros também requerem o deferimento da medida, para que assim documentos a serem usados na defesa da mãe de Henry sejam anexados ao processo envolvendo a morte do menino.

Publicidade

Diante da petição, a juíza encaminhou na última quinta-feira, 20, o pedido para o Ministério Público, para que assim o órgão se manifeste sobre.

Publicidade

O apartamento de Monique foi interditado no dia 24 de março para que profissionais do ICCE (Instituto de Criminalística Carlos Éboli) e do IML (Instituto Médico Legal) realizasse perícias complementares.

Publicidade

De acordo com informações do processo, Jairinho submetia o menino a sessões de tortura e, mesmo sabendo disso, Monique Medeiros não tomava nenhuma atitude para defender o filho. Após a morte do menino, os dois acabaram sendo presos preventivamente.

Publicidade
Publicidade
Publicidade