in

Saudável e sem comorbidades, jovem cientista que estudava impacto do coronavírus no cérebro morre de Covid

O biomédico tinha 34 anos e estava pesquisando sobre os impactos da doença no cérebro.

G1

A Covid-19 interrompeu precocemente a vida do jovem cientista Nilton Barreto dos Santos, de 34 anos. O paraense morreu na noite deste último sábado, 4 de maio. Por coincidência, o biomédico estava trabalhando numa pesquisa sobre os impactos do vírus no sistema nervosa central.

Publicidade

Ele partiu, mas seu propósito de vida continua. Para dar seguimento a sua pesquisa, parte dos tecidos do cérebro, coração e pulmão foram coletados para que os colegas continuem avançando no trabalho. Os familiares do jovem cientista deram autorização, pois querem ajudar a decifrar os mistérios da doença que tem ceifado a vida de milhares ao redor do mundo.

“Quero poder continuar o legado dele de alguma forma”, frisou Sâmia, esposa do pesquisador. Ele conseguiu uma bolsa de estudos para fazer um intercambio no hospital Mount Sinai, que é um dos mais prestigiados nos Estados Unidos, porém a pandemia do novo coronavírus mudou completamente o seu plano. A viagem que ocorreria no mês de janeiro de 2020, acabou sendo remarcada para o mês de janeiro do próximo ano.

Publicidade

Carolina Munhoz, que era a sua orientadora, fez questão de falar o quanto o rapaz era brilhante no seu trabalho. “O que me dói mais nisso tudo é que ele realmente estava no auge da carreira dele e a ponto de colher os frutos de seu trabalho árduo”, lamentou a professora.

Publicidade

Sâmia, esposa do biomédico, disse que não sabe como o marido se contaminou com o coronavírus. Ela também disse que não entende o motivo dele ter sido o único da família a apresentar sintomas mais graves da enfermidade. Segundo ela, o casal era muito cuidadoso e não deixava de usar máscara, evitavam aglomerações e lavavam todos os alimentos. “Ele era extremamente saudável e não tinha nenhuma comorbidade”, desabafou.

Publicidade

O biomédico acabou ficando com 90% dos pulmões comprometidos. Ele ficou hospitalizado por dois meses e faleceu no último dia 5 de maio.

Publicidade
Publicidade
Publicidade