in

Mourão diz que Pazuello entende que ‘cometeu um erro’ ao participar de ato com Bolsonaro

No domingo, 23, Eduardo Pazuello marcou presença em um ato político que contou com a presença de Bolsonaro no Rio.

Reprodução/Divulgação

Nesta segunda-feira, 24, o vice-presidente da República Hamilton Mourão afirmou que o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, entendeu que “cometeu um erro” quando participou de um ato político ao lado o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Vale ressaltar que Pazuello é general da ativa, desta forma, de acordo com o regulamento do Exército ele é proibido de participar de manifestações de cunho político.

Publicidade

Mesmo assim, Pazuello marcou presença em um passeio de motocicleta que Bolsonaro realizou no último domingo, 23, no Rio de Janeiro. Durante o ato, o ex-ministro chegou a subir no carro de som e até a fazer um breve discurso. No momento, Bolsonaro, Pazuello e aliados do chefe do Executivo não usaram máscara, o que está proibido no Rio de Janeiro devido à pandemia do coronavírus.

Ao chegar ao Palácio do Planalto, Mourão afirmou já ter conhecimento de que Pazuello entrou em contato com o comandante, para assim, colocar a sua cabeça no cutelo, “entendendo que ele cometeu um erro”.

Publicidade

De acordo com Mourão, que é general da reserva, provavelmente haverá uma punição ao ex-ministro dentro do Exército. “É provável que seja [punido]”, afirmou o vice-presidente, ressaltando se tratar de uma questão interna do Exército. Contudo, Mourão também disse que Pazuello pode pedir transferência para reserva, desta forma, atenuando o problema.

Publicidade

Ao falar sobre o assunto, Hamilton ressaltou não acreditar que a condução pode abrir brecha para que os quartéis sejam politizados. Ao invés disso, ele afirma acreditar que o caso “será conduzido à luz do regulamento”.

Publicidade

Publicidade