in

Câncer de pulmão: conheça fatores de risco, diagnóstico, tratamento e prevenção da doença de Rita Lee

Rita Lee revelou que está com câncer recentemente em uma postagem em sua rede social.

Extra/montagem

A cantora Rita Lee foi diagnosticada com câncer de pulmão durante um exame de rotina. O anúncio revelando o estado de saúde da famosa foi feito em seu perfil no Instagram nesta última quinta-feira, 20 de maio. Segundo a nota, os médicos detectaram um tumor primário em seu pulmão esquerdo.

Publicidade

A informação de que Rita Lee está com câncer no pulmão ganhou grande repercussão e gerou comoção entre os fãs da cantora. A artista está com 73 anos de idade e é conhecida nacionalmente pelo seu trabalho marcante que tem grandes sucessos como a canção Ovelha Negra e Lança Perfume.

O câncer de pulmão é o segundo tipo que mais acomete homens e mulheres ficando atrás somente do de próstata (homens) e mama (mulheres). Conforme dados do Inca – Instituto Nacional do Câncer, aproximadamente 30,2 mil casos são diagnosticados anualmente no país. O índice de mortalidade neste tipo de tumor também é alta, chegando a 29,3 mil mortes pela enfermidade ao ano. A boa notícia é que os tratamentos tem evoluído muito nos últimos anos aumentando a expectativa de vida dos pacientes.

Publicidade

Fator de risco

Os fatores de risco para o câncer de pulmão costuma ter relação direta com o tabagismo. Segundo a especialista, a médica Clarissa Mathias, é estimado que 90% dos casos de câncer de pulmão tenham relação com o cigarro, porém é importante ressaltar que pessoas não fumantes também podem desenvolver a doença.

Publicidade

Diagnóstico e tratamento

Esse tipo de tumor é silencioso em seus primeiros estágios. Isso quer dizer que os sintomas costumam surgir quando o tumor está em estágio mais avançado. Por isso, é importante fazer exames de rastreamento, ou seja, o famoso check up. Detectar a doença cedo torna o tratamento mais eficaz evitando que a enfermidade se espalhe para outros órgãos. Quando o exame de imagem aponta algum indício de tumor, o paciente passa por uma biopsia para analisar o material para saber se as células são malignas ou não.

Publicidade

Com a evolução dos tratamentos nos últimos anos, o paciente tem uma sobrevida maior. Antes o tempo de vida após o diagnóstico era de meses, hoje em dia pode chegar a anos. A grande mudança no tratamento é a chegada da imunoterapia, que acabou se tornando importante para tratar diversos tumores, incluindo o melanoma e o câncer de pulmão. Muitos tratamentos podem conciliar diferentes recursos como radioterapia, quimioterapia e imunoterapia.

Prevenção

De forma geral, a melhor maneira de prevenir é mantendo uma alimentação saudável, atividade física regular e dormir bem. Todas essas atitudes auxiliam a evitar que um indivíduo desenvolva tumores. No entanto, no caso do câncer de pulmão não tem como ignorar o impacto do tabagismo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade