in

Caso do menino autista que vivia preso em canil tem novos desdobramentos revelados; avô será investigado

Menino era privado de alimentação e hidratação e foi levado debilitado para centro de tratamento.

R7

Mais um caso de violência contra criança foi descoberto na última segunda-feira (17) e comoveu o país. Em Belford Roxo, no Rio de Janeiro, policiais da 54ª DP resgataram um menino de 8 anos, após denúncias anônimas de vizinhos. A vítima vivia em condições desumanas, preso na maior parte do tempo em um pequeno espaço, semelhante a um canil. 

Publicidade

Na ação, os policiais executaram a prisão da avó e da mãe do menino que estavam na residência na comunidade Gogó da Ema, no momento da operação. Desnutrido, desidratado e em estado de pânico, o menino foi socorrido para uma unidade hospitalar, com quadro delicado. 

Ampliação

O caso segue em apuração, e a Polícia Civil resolveu estender as investigações acerca dos maus-tratos que o menino autista de 8 anos era vítima. Com isso, o avô da criança passa a ser alvo da apuração. Os investigadores tentarão apurar se ele sabia que a vítima era submetida a torturas pela avó e a mãe, e se era conivente com o cenário de tortura. 

Publicidade

De acordo com informações do jornal “O Dia”, o pai do menino está preso, cumprindo detenção por conta de tráfico de drogas. 

Publicidade

O avô do menino residia no mesmo quintal das suspeitas das ações de tortura. Até o fechamento desta matéria, o homem não havia sido localizado para prestar depoimento à polícia. Segundo a polícia, a mãe do menino luta contra um câncer, e a exemplo da avó, não possui emprego fixo. Ambas recebem benefícios oriundos de programas sociais do Governo Federal.

Publicidade

Outras crianças 

A casa onde o menino autista ficava ainda tinha outras três crianças. Os menores foram entregues ao Conselho Tutelar, que acompanha o caso desde o início, e esteve com a polícia na operação de resgate. 

Publicidade
Publicidade