in

Laudo aponta causa da morte do menino Gael e detalhes são impactantes; mãe é denunciada

Garoto residia com a mãe, a irmã e uma tia-avó em um apartamento no centro de São Paulo.

METRÓPOLES/UOL/MONTAGEM: HIGOR MENDES

O caso de morte do menino Gael de Freitas Nunes causou forte comoção nacional no início deste mês. O garoto de 3 anos foi encontrado ferido no apartamento em que morava com a família, e acabou não resistindo aos ferimentos. Principal suspeita, a mãe dele, Andréia Freitas de Oliveira, de 37 anos se encontra detida de forma preventiva, e foi denunciada pelo MP pelo assassinato do próprio filho. 

Publicidade

Nesta quinta-feira (20), o MP trouxe mais alguns detalhes acerca do caso, informando que o menino por asfixia e agressões sofridas na cabeça. De acordo com o laudo necroscópico, além dos sinais de maus-tratos, a vítima teve o nariz e a boca tapados e o pescoço apertado. Gael sofreu ainda traumatismo e fratura no crânio. 

De acordo com testemunhas, Andréia teria sofrido um surto psicótico e atacou o filho na sequência. A mulher estava com a criança na cozinha. Uma tia-avó que residia no mesmo apartamento ouviu gritos, e quando chegou ao cômodo encontrou o menino desacordado e caído no chão. Ele o levou para o quarto rapidamente, enquanto a irmã de Gael, uma adolescente de 13 anos ligou para pedir socorro. 

Publicidade

O menino de 3 anos foi socorrido para uma unidade hospitalar próxima, mas não resistiu aos ferimentos. No seu relato à polícia, a tia-avó disse que questionou Andréia sobre o que tinha acontecido, entretanto, não obteve resposta. 

Publicidade

Defesa

O advogado de defesa de Andréia, Fábio Gomes da Costa, já solicitou um exame de insanidade mental para comprovar que a cliente sofre com distúrbios. Em conversa com a mãe de Gael, o profissional afirma que a mulher de 37 anos não assumiu a autoria do crime, alegando “não se lembrar de nada” do que aconteceu no momento em que Gael foi atacado. 

Publicidade

Publicidade