in

Caso Gael: mãe é denunciada por agredir e asfixiar o filho de 3 anos; MP toma decisão

Menino chegou a ser socorrido por uma equipe do Samu, mas não resistiu aos ferimentos.

G1

O caso Gael teve novos desdobramentos na última quinta-feira (20). Principal suspeita na morte do próprio filho de 3 anos, Andréia Freitas de Oliveira, foi denunciada pelo assassinato do garoto. 

Publicidade

De acordo com informações do G1, a Promotoria também solicitou à Justiça que a mulher seja submetida a um exame de insanidade mental na dona de casa. As testemunhas informaram que a mãe de Gael teve um surto psicótico e cometeu a ação criminosa sem nenhum motivo. 

A denúncia aponta que Gael morreu após ser asfixiado e agredido na cabeça pela própria mãe no apartamento em que ele morava com família, situado no bairro Bela Vista, na região central de São Paulo. Além dele e a mãe, uma tia-avó e a irmã de 13 anos, por parte de mãe, morava no mesmo local.

Publicidade

A aposentada de 73 anos que foi responsável por encontrar o garoto desacordado, caído no chão da cozinha. Com auxílio da adolescente, ela pediu ajuda e o menino foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. O garoto acabou não resistindo aos ferimentos e teve morte confirmada pouco tempo depois. 

Publicidade

Andréia de Freitas foi presa em flagrante, e posteriormente teve prisão convertida em preventiva. O anel que ela utilizava foi apreendido por ter compatibilidade com o ferimento encontrado na testa do menino. Durante o interrogatório à polícia, ela ficou calada. 

Publicidade

Outro transtorno

Responsável pela defesa da mãe do menino, o advogado Fábio Gomes da Costa já reuniu documentos que comprovam que Andréia teve um surto psicótico em 2012. Na oportunidade, o problema foi definido como transtorno afetivo bipolar. Em depoimento à polícia, o ex-marido dela confirmou a informação. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade