in

Suzane Von Richthofen recebe benefício e deixa a penitenciária na manhã desta terça-feira (18)

Além de Suzane, outras condenadas conhecidas de todo o Brasil também receberam o benefício.

Exame/G1/Montagem: Higor Mendes

Na manhã desta terça-feira (18), Suzane Von Richthofen, condenada pelo assassinato dos próprios pais, em 2002, foi beneficiada com a popular saidinha temporária e deixou a prisão. O retorno da mesma para a Penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé, São Paulo, está previsto para o dia 24 de maio.

Publicidade

Geralmente, o período da Páscoa é o escolhido para a primeira concessão do benefício no ano, porém, por conta da pandemia da Covid-19, este ano a data foi adiada.

Suzane deixou a prisão ainda durante a manhã e, assim como todas as outras detentas que também deixaram o local, fazia uso da máscara como proteção contra o coronavírus. Fora da penitenciária, ela se encontrou com outra mulher e chegou a correr para deixar o local com o máximo de descrição.

Publicidade

Suzane Von Richthofen recebeu a progressão de sua pena para o regime semiaberto em outubro de 2015 e sua primeira saída se deu na Páscoa de 2016. Além dela, outras presas condenadas por crimes de grande repercussão no Brasil também foram beneficiadas pela saída e deixaram o presídio nesta terça-feira (18). Entre elas Anna Carolina Jatobá e Elize Matsunaga.

Publicidade

A famosa saidinha é o direito de sair em época específicas, como Dia das Crianças, Dia das Mães e festas de fim de ano. O benefício é concedido apenas a detentos do regime semiaberto.

Publicidade

Por ano, presos beneficiados pela saidinha têm direito a permanecerem até 35 dias fora das penitenciárias. Em 2020, por conta da pandemia da Covid-19, o benefício foi concedido em apenas uma oportunidade.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.