in

Pergunta fundamental sobre caso da mãe que ateou fogo em bebê ainda não foi respondida

Recém-nascido morreu e Polícia Civil de Goiás investiga o caso ocorrido em Anápolis.

G1

A morte de um bebê recém-nascido em Anápolis, interior de Goiás, na semana passada, repercutiu em todo o estado e no Brasil. O corpo do bebê foi encontrado após ser carregado por um cachorro próximo a um terreno baldio de um bairro da zona leste da cidade localizada a 55 quilômetros de Goiânia, a capital do estado.

Publicidade

Isabelle Freire, de 24 anos, é a mulher que levou o bebê até o terreno baldio dentro de uma caixa de papelão. Imagem de câmera localizada na rua mostra ela chegando com o seu carro Eco Sport, saindo com a caixa e entrando no terreno.

Logo depois, a mulher volta ao veículo, pega a álcool e isqueiro e retorna para o terreno, onde ateou fogo na caixa com o bebê dentro. No momento, a jovem responde pelo crime de ocultação de cadáver, mas isso pode muar com o exame cadavérico.

Publicidade

O exame ainda não foi divulgado pelo Instituto Médico Legal (IML). O laudo vai mostrar se o bebê já estava morto quando foi carbonizado ou se não estava. Essa informação pode mudar tudo. Se for confirmado que ele estava vivo, a mulher vai responder por ocultação de cadáver, infanticídio e homicídio qualificado.

Publicidade

No momento, Isabelle teve a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva pela juíza Nina Sá Araújo, após pedido feito pelo Ministério Público. O namorado de Isabelle e possível pai da criança foi ouvido pela polícia e liberado.

Publicidade

A mulher escondeu a gravidez de todo o mundo. Durante a gestação, ela engordou apenas cinco quilos e não foi notada nem pelos colegas de trabalho da farmácia de um hospital particular onde trabalhava.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!