in

Amigos ficam desolados com a morte de professor de 29 anos por Covid-19: ‘Ruptura muito violenta’

A morte tão precoce do docente deixou os amigos impactados com a perda.

G1

A Covid-19 tem feito milhares de vítimas no mundo inteiro. Infelizmente, no Brasil a situação não é diferente e diariamente muitas pessoas têm perdido a vida para o vírus. A morte de um professor, antes dos 30 anos, deixou amigos e familiares tristes com a perda precoce de uma pessoa tão querida pela comunidade.

Publicidade

O docente Eduardo Costa Neto tinha 29 anos de idade e morreu no último dia 9 de maio após sofrer complicações do novo coronavírus. Chamado carinhosamente de Dudu pelos amigos, o professor atuava no Projeto Crear como oficineiro. Ele era natural da cidade de Capão Bonito, interior de São Paulo.

Amigos do professor destacam como uma das suas principais características a criatividade e originalidade. Ele estava cursando pedagogia e tinha pretensão de concluir os estudos assim que a pandemia melhorasse. Uma amiga de Dudu, Aline Marchesi, fez questão de falar sobre a perda de um amigo tão querido e revelou a dor que sente com a sua morte.

Publicidade

“Ainda me emociono bastante ao falar do Dudu e acho que por um bom tempo vai ser assim. Pra mim foi uma ruptura muito violenta, e ainda é difícil. Tinha uma personalidade muito original, era o Dudu, não dá pra explicar ou comparar com outra pessoa. Ele tinha opiniões muito bem formadas”, desabafou a amiga do docente.

Publicidade

A diretora do projeto Crear, ONG onde o professor Dudu atuava, falou sobre o quanto ele era ativo no trabalho. Peggy Lererer contou que o rapaz era multitarefas, pois tocava, cantava, pintava, desenhava, cozinhava e também tinha habilidade para realizar trabalhos manuais. Além disso, ela ressaltou que o docente tinha um diálogo importante com os jovens que eram atendidos pela instituição e sempre buscava acolher.

Publicidade

Peggy afirma que é muito sofrido falar sobre a morte de Dudu e frisou que ele era uma pessoa cheia de sonhos, com energia e determinação. Eduardo foi hospitalizado no dia 19 de abril e no dia 9 de maio teve complicações ao sofrer uma paralisia nos rins e acabou não resistindo.

Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.