in

Filha diz que não se surpreendeu pelo pai ter envenenado a mãe com cerveja

Kleber Queiroga, de 42 anos, matou a própria esposa, Gisele Lidiana, de 37 anos, envenenada com cerveja; Eles estavam juntos há 19 anos.

Reprodução/Divulgação

A filha de Kleber Queiroga, de 42 anos, que confessou ter matado a própria esposa após envenená-la com um copo de cerveja afirmou que o crime cometido pelo pai não foi surpreendente, isso diante das constantes brigas do casal. A declaração foi feita pela jovem durante entrevista ao Record TV Minas. O caso aconteceu em Mateus Leme, em Minas Gerais.

Publicidade

No dia 11 de abril o réu confesso teria colocado dietilenoglicol na cerveja da esposa, Gisele Lidiana, de 37 anos. Os dois estavam juntos há quase duas décadas.

Gisele começou a passar mal logo após ter ingerido a bebida contaminada e precisou ser internada em uma unidade hospitalar. Depois disso, com o estado de saúde grave ela precisou ser transferida por duas vezes, primeiro para Contagem e, depois, para Belo Horizonte, onde ela acabou morrendo no dia 7 de maio.

Publicidade

Na entrevista, a filha do casal afirmou que os pais brigavam constantemente e os motivos era desde questões financeiras até ciúmes, já que eles acabavam ficando por muito tempo no WhatsApp.

Publicidade

Kleber confessou ter envenenado a própria esposa no dia 19 de abril e, desde então segue preso. De acordo com o depoimento do réu, ele comprou a substância que colocou na bebida da vítima através da internet.

Publicidade

Segundo informações passadas pela delegada Lígia Mantovani, a substância usada por Kleber é a mesma que foi usada no caso envolvendo a cervejaria Backer. De acordo com Mantovani, o réu contou ter comprado a substância no dia 15 de fevereiro através da internet e a mesma chegou a residência do casal no dia 17 do mesmo mês. Depois disso, Kleber teria esperado “o momento oportuno” para fornecer a substância a sua esposa.

Publicidade
Publicidade
Publicidade