in

Mãe que ateou fogo e matou filho recém-nascido é presa e conta motivo do crime: ‘minha mãe morreria’

Bebê foi abandonado e carbonizado em um terreno baldio da cidade de Anápolis (GO).

G1 - Montagem

Uma jovem de 24 anos, que foi presa suspeita de atear fogo e matar o próprio filho recém-nascido, na cidade de Anápolis, na última quarta-feira (12), disse em seu depoimento à Polícia Civil que cometeu a ação criminosa porque estava com vergonha da gravidez ser descoberta.

Publicidade

Em depoimento ao delegado Wllisses Valentim, responsável pelas investigações do caso bárbaro, a mulher que não teve a identidade revelada, contou que a mãe é doente e “morreria se soubesse que ela estava grávida”, e por isso ninguém poderia saber da existência da criança.

“Segundo ela, a mãe é muito doente e até morreria se soubesse que ela estava grávida. Ela estava com muita vergonha de ter sido descoberta, não queria o bebê e queria se desfazer dele”, disse o delegado. 

Publicidade

O caso

O crime da jovem contra o filho recém-nascido, de aproximadamente uma semana, foi descoberto na última quarta-feira (12), quando um pedestre que passava por uma rua do Bairro Cerejeiras avistar um cachorro arrastando algo. Ao se aproximar e espantar o cão, o homem viu que se tratava do corpo de um bebê e acionou a Polícia Militar.

Publicidade

Imagens de câmeras de segurança evidenciaram a ação da jovem. No vídeo obtido pela polícia, ela aparece descendo do carro com um filho em uma caixa de papelão, entra no terreno baldio, e volta depois ao veículo para pegar um galão de álcool para ceifar a vida do próprio filho.

Publicidade

Um exame cadavérico a ser realizado pelo Instituto Médico Legal (IML) deve ficar pronto nos próximos 15 dias, e pode esclarecer muitos fatos da ação criminosa, como por exemplo, saber se o recém-nascido estava ou não vivo no momento em que a mulher ateou fogo. 

O namorado da jovem foi ouvido, e será investigado se tem ou não envolvimento no crime. No relato às autoridades, ele disse que ao tomar conhecimento da gravidez da namorada, os dois decidiram realizar um aborto, e que a mulher mentiu afirmando que havia dado certo. Ele não foi detido. 

Publicidade