in

Mãe põe fogo e mata próprio filho recém-nascido em Goiás; caso gera revolta e comoção

Mulher disse ter amamentado o filho apenas uma vez desde o seu nascimento.

G1

Mais um caso de violência bárbara contra criança foi registrado em solo nacional nesta quarta-feira (12). Em Anápolis, cidade que fica a 55 km de Goiânia, o corpo de um bebê recém-nascido foi encontrado carbonizado, após um cachorro arrastá-lo pela rua.

Publicidade

Responsável pelas investigações do caso, o delegado Wllisses Valentim informou à imprensa que a mãe foi presa e confessou a ação criminosa. Um vídeo gravado por câmeras de monitoramento registrou quando um carro para em frente a um terreno baldio. Logo na sequência, a mulher de 24 anos desce com o bebê dentro de uma caixa de papelão e entra no local.

Rapidamente, a mãe, que não teve o nome revelado, retorna ao veículo, pega um galão com álcool para atear fogo no corpo do próprio filho. 

Publicidade

O caso teve ampla repercussão na cidade, gerando uma forte onda de revolta contra a jovem e comoção pela morte do recém-nascido. 

Publicidade

Gravidez escondida 

Em seu depoimento à polícia, a jovem disse que ocultou a gravidez de todos os familiares e até mesmo do namorado. Ela afirmou ainda que amamentou o bebê apenas no primeiro dia de vida, e não sabe se no momento em que ateou fogo na vítima, o filho estava vivo ou morto. 

Publicidade

No boletim de ocorrência consta que o recém-nascido ainda estava com a pulseirinha de identificação utilizada no hospital, e teria cerca de uma semana de vida apenas. 

Detida 

A suspeita foi indiciada pelo crime de ocultação de cadáver e foi detida na penitenciária de Anápolis, enquanto aguarda o curso das investigações. 

Testemunha acionou polícia

De acordo com a Polícia Civil, um pedestre que vinha passando no local onde o bebê foi abandonado avistou um cachorro arrastando algo, e gritou com o cão para parar. Nisso, ele percebeu que se tratava do corpo de um bebê e acionou a equipe da Polícia Militar. 

O local foi devidamente isolado, e equipes da Polícia Civil e do Instituto Médico Legal foram acionadas para atender a ocorrência. 

Publicidade
Publicidade