in

Brinquedos do menino Gael teriam sido descartados em sacos de lixo antes do crime; defesa da mãe alega surto

A Polícia Civil de São Paulo segue investigando o crime ocorrido na última segunda-feira (10).

R7 | Montagem Ingrid Machado

A morte de mais uma criança de forma brutal ganhou repercussão na última semana. O crime aconteceu na última segunda-feira (10), em São Paulo, num condomínio de classe média alta. Gael Nunes, de apenas 3 anos, faleceu devido a traumas na região da cabeça. A mãe, Andréia Freitas de Oliveira, foi presa preventivamente sob suspeita do crime.

Publicidade

No dia da morte do menino, estavam no apartamento a irmã, de 13 anos, a mãe e a tia-avó. Segundo o site G1, o menino foi socorrido por uma equipe do Corpo de Bombeiros e apresentava sinais de agressões. Apesar do socorro, a criança não resistiu aos ferimentos e veio à óbito. De acordo com a defesa de Andréia, a cliente sofreu um surto psicótico.

Segundo informações da família, a mãe de Gael já havia sido internada e havia sofrido reações adversas após tomar um medicamento para emagrecimento. Um detalhe chamou a atenção da polícia durante a perícia realizada no apartamento onde a criança morreu.

Publicidade

Brinquedos de Gael haviam sido descartados em sacos de lixo, como se a mãe quisesse se livrar dos objetos antes do crime. Na última terça-feira (11), Andréia foi transferida para a prisão de Tremembé, em São Paulo. Em depoimento, a tia de Gael, Maria, afirmou que a mãe do menino sempre demonstrou ser carinhosa e nunca havia apresentado comportamento agressivo.

Publicidade

No dia da tragédia, a tia-avó revelou que estava vendo TV na sala, quando ouviu barulhos vindos da cozinha. Ao chegar no local, se deparou com a criança caída ao chão coberta já desfalecida. Andréia estava de cabeça baixa e não esboçou reação. Em depoimento, a mulher garantiu que não se lembrava de nada.

Publicidade

Publicidade
Publicidade