in

Caso Gael: corpo do menino é velado sob forte comoção na Paraíba; Ministério Público fez recomendação

Gael chegou a ser socorrido, mas acabou não resistindo aos ferimentos, tendo sua morte confirmada.

G1 - Foto: Artur Lira/TV Paraíba

Vítima de um crime onde a mãe aparece como principal suspeita, o menino Gael teve o corpo velado na noite da última quarta-feira (12), no município de Prata, no Cariri da Paraíba. 

Publicidade

O translado do corpo entre São Paulo até o estado nordestino ocorreu no ontem, através de avião, chegando na capital paraibana no final da tarde. A criança foi levada para a casa da avó paterna, onde os familiares iniciaram a despedida.

Posteriormente, o velório foi dado sequência na casa de familiares da mãe da vítima. A expectativa era que o velório acontecesse em um ginásio municipal de Prata. Contudo, por conta de uma recomendação do Ministério Público da Paraíba, o local foi alterado.

Publicidade

As autoridades temiam que grandes aglomerações fossem formadas, descumprindo assim os protocolos sanitários de prevenção à Covid-19.  Apenas familiares e pessoas mais próximas da família puderam participar do velório do menino em função da pandemia.

Publicidade

O sepultamento do corpo do garoto está previsto para ocorrer às 9h desta quinta-feira (13), no cemitério Jardim Saudade, situado na cidade de Prata. 

Publicidade

Prisão preventiva

Apontada como principal suspeita de ter provocado a morte do filho, Andréia de Freitas, de 37 anos, segue detida. Na última terça-feira (11), a Justiça determinou a conversão de prisão em flagrante para preventiva. A mãe de Gael foi transferida para o presídio feminino de Tremembé, no interior de São Paulo.

De acordo com o advogado dela, Fábio da Costa, Andréia não se lembra do que ocorreu, e não assume a autoria do crime. Quando tomou conhecimento do que havia acontecido com o filho, ela chorou por quase 1 hora. O defensor ainda pontua que a mulher se mostra “em paz” e “sereníssima”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade