in

Caso Gael: polícia vai ao apartamento e o que descobre causa impacto; tia-avó justifica

Peritos foram ao apartamento onde garoto de 3 anos morava com a mãe, tia-avó e irmã de 13 anos.

Reprodução Globo

Gael de Freitas Nunes, de 3 anos, morreu na manhã desta segunda-feira (10). A mãe dele, identificada como Andréia, está presa e é apontada pela Polícia Civil como autora do crime que resultou na morte da garota. As agressões contra a criança teria ocorrido após surto psicótico.

Publicidade

A polícia investiga o caso e já pediu à Justiça que converta a prisão da mulher de flagrante para preventiva. Andréia está presa na carceragem feminina do 99º DP do Morumbi, zona sul da cidade de São Paulo. O caso aconteceu em um apartamento da Bela Vista, centro da cidade.

Após as agressões, o menino foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), encaminhado à Santa Casa, mas não resistiu e morreu. Ele tinha ferimentos pelo corpo. Na cabeça, havia uma marca parecida com a do anel usado pela mãe. O objeto foi apreendido para análise.

Publicidade

Publicidade

Gael tinha quarto com colchão velho

Os investigadores da polícia estiveram no apartamento onde Gael morava com a mãe, a irmã de 13 anos e a tia-avó. O quarto do menino era o único que não tinha cama. Havia apenas um colchão velho no dormitório do menino. O cenário destoava do restante da casa.

Publicidade

Também não havia brinquedos para o menino de 3 anos. “Todos os brinquedos da crianças encontrados ensacados num canto, na área de serviço”, diz o documento da polícia após perícia no apartamento. A tia-avó afirmou que não sabia que os brinquedos estavam ensacados e disse que Gael dormia no quarto da mãe por isso não havia necessidade de ter uma cama no quarto dele.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!