in

Fim de semana com o pai, agressão e morte: caso Gael lembra trágica história de Henry

A criança morreu depois de ser levada por uma ambulância para um hospital local.

UOL/Montagem

No último mês, um dos assuntos mais comentados no Brasil foi a morte de Henry Borel Medeiros. O menino, que estava prestes a completar cinco anos de idade, foi encontrado desacordado dentro do apartamento onde morava com a mãe, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, e o padrasto, o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, de 42 anos.

Publicidade

Após investigações, a polícia do Rio de Janeiro, que ouviu diversos depoimentos, concluiu que Jairinho teria provocado a morte do enteado e que a mãe do garoto omitiu o crime, alegando não ter conhecimento de agressões cometidas pelo então companheiro.

Henry, que era fruto do casamento de Monique com o engenheiro Leniel Borel, havia passado o fim de semana anterior a sua morte com o pai e tinha sido levado de volta na noite de domingo (07/03), sem apresentar nenhuma lesão.

Publicidade

Nesta semana, um caso bastante semelhante ao de Henry tem chocado o país. Trata-se da morte do pequeno Gael, de três anos de idade. Ele também estava no apartamento onde morava com a família quando foi supostamente agredido.

Publicidade

Gael tinha passado o fim de semana com o pai e voltou para casa, segundo o genitor, sem nenhuma anormalidade. Quem encontrou o menino caído no chão do apartamento foi a tia-avó da criança. A principal suspeita do possível crime é a mãe da vítima, identificada apenas pelo nome de Andréia, que teria problemas psiquiátricos. 

Publicidade

A mãe da criança, que foi levada ainda com vida para o hospital após a chegada do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), foi presa sob suspeita de assassinato.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral.