in

Delegado diz se jovem que praticou ataque a creche teve ajuda no crime bárbaro; novos detalhes impactam

Fabiano Kipper tentou tirar a própria vida após matar cinco vítimas em creche no interior de SC.

SCC 10 / G1

O ataque cometido no interior da Escola Pró-Infantil Aquarela trouxe grande comoção nacional na última semana. Disposto a matar o máximo de vítimas possível, um adolescente de 18 anos invadiu a creche situada na pacata cidade de Saudades, no Oeste de Santa Catarina, e vitimou cinco pessoas.

Publicidade

Neste domingo (9), o programa “Fantástico”, da TV Globo, exibiu uma reportagem trazendo mais alguns detalhes da chacina ocorrida dentro da escola infantil. Com autorização da Prefeitura de Saudades, os passos do assassino e todo o cenário de desespero vivido pelas professoras e funcionárias da instituição foram revelados.

No momento do ataque, 19 crianças estavam distribuídas em cinco salas. Cada uma das salas contava com uma professora e duas agentes educacionais. A professora Keli, de 30 anos, foi a primeira vítima do jovem. Na sequência, ela correu para uma outra sala onde estava Mirla, de 20 anos, também vítima fatal do assassino. Neste local, Fabiano Kipper Mai feriu quatro bebês, três deles morreram.

Publicidade

Participação de outras pessoas?

Em entrevista ao “Fantástico”, o delegado Jerônimo Marçal, responsável pelas investigações do caso que chocou o país, revelou que todos os indícios levam a crer que Fabiano agiu sozinho na ação criminosa. Os peritos estão examinando o computador do adolescente, tido como prova importante na elucidação do inquérito.

Publicidade

“Ele agiu sozinho, é o que a gente tem até agora. Não há qualquer indicativo de que outra pessoa tem auxiliado ele de alguma forma. Ele relatou a algumas pessoas no dia que aconteceu (chacina), que ele estava planejando há 10 meses”, disse o delegado, que até o momento ainda não identificou a motivação para o crime bárbaro. 

Publicidade

Socorrido em estado grave, Fabiano passou por cirurgia e se encontra em situação estável. No último final de semana, ele deixou um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e foi levado para a enfermaria do Hospital Regional do Oeste, em Santa Catarina. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade