in

Mãe de bebê que morreu em ataque a creche comove em entrevista: ‘Nunca vou ouvi-la me chamar de mãe’

Anna Bela foi uma das cinco vítimas fatais de ataque cruel em creche de cidade catarinense.

G1 - MONTAGEM

O Dia das Mães para a mãe da pequena Anna Bella Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses, nunca mais será o mesmo sem a filha, morta de forma bárbara e brutal na última terça-feira (4), em uma creche na cidade de Saudades, no Oeste Catarinense.

Publicidade

A menina foi uma das cinco vítimas mortas na unidade escolar infantil. Conhecida pela simpatia, Anna Bela estava na mesma sala dos outros dois bebês que também morreram no ataque protagonizado pelo jovem Fabiano Kipper Mai. 

Neste domingo (9), o programa “Fantástico” da TV Globo, exibiu uma reportagem detalhando o caso, e conversou com a mãe de Anna Bela, e também de Sarah, outra bebê vítima do ataque. 

Publicidade

Abalada, a mãe de Anna Bela comoveu ao dizer que nunca ouvirá a filha falar “te amo, mamãe”, uma vez que a bebê ainda pouco falava. 

Publicidade

“Eu não vou ter a minha princesa comigo, eu nunca vou ouvi-la me chamar de mãe, porque ela falava poucas palavras ainda”, disse a mãe da vítima.

Publicidade

Questionamentos

Desolada, a mãe da pequena Sarah, diz que em sua mente tem surgido diversos questionamentos sobre o que poderia ter evitado a perda irreparável e tão precoce da sua bebê. 

“Por que a gente mandou ela? Por que ela não ficou mais uns meses com a avó? Por que ela não ficou em casa? Por que ela não conseguiu se salvar?”, desabafa a mãe da vítima. 

Segundo informações das investigações, 19 crianças estavam na Escola Pró-Infantil Aquarela no momento do ataque, distribuídas em cinco salas. Em cada sala havia uma professora e duas agentes educacionais.

O cenário só não foi pior porque as professoras conseguiram trancar as portas e utilizaram o peso do corpo como barreira para impedir a invasão do assassino nas salas. O adolescente forçou entrada em todas as salas, após ter vitimado cinco pessoas.

Após o ataque, o assassino tentou tirar a própria vida e foi contido por populares que adentraram a creche. Socorrido em estado grave, ele vem se recuperando no Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, e já deixou a UTI.

Publicidade
Publicidade
Publicidade