in

Policial que morreu durante operação no RJ cuidava de mãe acamada vítima de um AVC

André Frias foi morto em operação realizada no morro do Jacarezinho nesta quinta-feira (6).

G1

A operação policial realizada no morro do Jacarezinho na última quinta-feira (6) deixou um saldo de 25 mortos. Entre as vítimas fatais está o policial civil André Leonardo de Mello Frias, de 48 anos, que acabou sendo alvejado na cabeça durante a troca de tiros com traficantes e não resistiu.

Publicidade

Na corporação há oito anos, Frias era casado com uma policial e tinha um enteado de 10 anos. O agente ainda era tutor e responsável pelo sustento da mãe, que em 2018 sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC), e desde então vive acamada. 

Trabalhando na operação que deixou o maior saldo negativo de vítimas na história do Rio de Janeiro, o agente acabou sendo alvejado na cabeça por volta das 6h, quando os policiais iniciaram a varredura no Jacarezinho para cumprir mandados de prisão. André desceu do Caveirão, veículo blindado da Polícia, e com pouco tempo foi atingido.

Publicidade

Socorro

Logo após ser vítima do disparo de arma de fogo, André Frias foi levado rapidamente para o Hospital Salgado Filho, localizado no Méier, mas não resistiu aos ferimentos. O sepultamento do policial está marcado para ocorrer nesta tarde de sexta-feira (7).

Publicidade

Segundo a polícia, a decisão de descer do Caveirão e seguir a pé pela favela se deu após a equipe que estava no veículo encontrar barreiras fixadas por traficantes, obstruindo a passagem.

Publicidade

Diante disso, seis policiais desceram do Caveirão e entraram na comunidade situada na Zona Norte do Rio a pé. Neste momento, os agentes passaram a ser alvos dos disparos. Em varreduras realizadas, a polícia descobriu uma espécie de casamata, feita com concreto e um buraco para o criminoso fixar o fuzil e disparar contra ameaças. Foi justamente deste local que partiu o tiro que ceifou a vida do policial André Frias. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade